Zimmermann assume ministério e cobra providências para reduzir blecautes

Novo ministro diz que Aneel tem um papel importante para garantir que as distribuidoras honrem seus contratos de concessão.

Leonardo Goy,

31 de março de 2010 | 17h21

O novo ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, assumiu há pouco o cargo cobrando providências das distribuidoras de energia elétrica e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para diminuir a quantidade de blecautes no país. Neste verão, foram recorrentes os apagões, principalmente, no Rio de Janeiro, São Paulo e em Brasília.

 

"Temos uma preocupação importantíssima com a área de distribuição", disse Zimmermann, acrescentando que o órgão regulador do setor, ou seja, a Aneel, tem um papel importante para garantir que as distribuidoras honrem seus contratos de concessão. "Temos o desafio em diversos lugares de manter a qualidade dos serviços que a população exige. A Agência tem que se aperfeiçoar no papel de regulador, atuando na mediação, regulação e fiscalização", disse.

 

Para Zimmermann, as empresas também têm o seu papel, cabendo a elas honrar os contratos de concessão e as necessidades de investimento. "O governo tem o grande desafio de não deixar cair o nível da qualidade de atendimento nas diversas áreas de distribuição", disse. O ministro acrescentou que vai procurar a Aneel e empresas do setor para tentar resolver a situação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.