Zimmermann evita falar de Petrobrás e elogia cessão onerosa de petróleo

Na avaliação do  ministro de Minas e Energia, o  valor do barril deinido em US$ 8,51,  é tecnicamente defensável em qualquer fórum

Wellington Bahnemann, da Agência Estado,

20 de setembro de 2010 | 12h23

O ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, classificou como um "sucesso" o processo da cessão onerosa, que prevê a transferência de até 5 bilhões de barris de óleo equivalente à Petrobrás mediante o pagamento de US$ 8,51 o barril, na média. "A cessão onerosa foi muito positiva para a nação brasileira", disse o ministro, que participou de evento na capital paulista.

O valor de US$ 8,51 o barril foi definido a partir dos laudos produzidos pelas certificadoras contratadas pela Petrobrás e pela ANP. "Esse é um valor tecnicamente defensável em qualquer fórum", afirmou. Com esse valor, a cessão onerosa chegará ao valor de R$ 74 bilhões, que serão pagos pela Petrobrás com os recursos da capitalização da estatal.

Sobre a capitalização, o executivo preferiu não tecer comentários. Ele preferiu não falar a respeito da percepção do governo em relação à adesão dos minoritários. "Como conselheiro da Petrobrás, prefiro não falar. Mas os jornais falam que a operação está sendo um sucesso", afirmou Zimmermann. A oferta será fechada esta semana, com o prazo de reserva encerrando-se no dia 22, quarta-feira, e o fechamento do bookbuilding, quando será definido preço e quantidade, previsto para o dia seguinte, quinta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.