finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Zoellick critica posição do Brasil sobre acordo na OMC

O presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, criticou indiretamente a posição negativa do Itamaraty em relação à proposta de acordo apresentada pelos negociadores da Organização Mundial do Comércio (OMC). "Se for encarado com o espírito certo, há um acordo sobre a mesa, uma oportunidade a ser aproveitada", afirmou.Citando sua experiência com negociações comerciais - ele foi representante comercial dos Estados Unidos -, Zoellick disse: "Provavelmente nenhum governo estará totalmente satisfeito e muitos encontrarão vários motivos para crítica. Mas os documentos revelam que um progresso significativo foi atingido, e que as lacunas podem ser abordadas para se chegar a um consenso, mesmo que os temas sejam controversos."O ministro Celso Amorim criticou as propostas de acordo, dizendo que há um desequilíbrio: o rascunho é bem mais audacioso na abertura industrial. Segundo Zoellick, a "comunidade global precisa estar focada no que interessa". "Se esse rascunho se transformar em base para um acordo, todas as economias podem se beneficiar." Para ele, é importante que "agricultores pobres" e trabalhadores de países em desenvolvimento possam vender seus produtos nos outros países e se beneficiar de preços mais baixos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.