Zoellick vai à China para destravar comércio agrícola com EUA

O representante comercial dos EUA, Robert Zoellick, começou hoje uma visita de quatro dias à China para verificar o progresso do país na implementação dos compromissos assumidos perante a Organização Mundial do Comércio (OMC). Ao tornar-se membro da OMC, em dezembro de 2001, a China assinou vários compromissos que vão da redução de tarifas a remoção de barreiras ao comércio internacional. Hoje, depois de reunir-se com autoridades chinesas, Zoellick afirmou que o país estará ao lado dos EUA nas negociações agrícolas da OMC. "Recebemos um forte apoio da China em nossas propostas feitas na rodada de Doha", afirmou. Mas uma das principais missões de Zoellick será destravar as vias de comércio agrícola entre os dois países e evitar que as reclamações de algumas corporações americanas quanto à lenta abertura comercial da China tornem-se mais sérias. "Vou discutir o progresso que a China fez até agora. Temos preocupações em algumas áreas, particularmente agricultura. Os americanos não estão conseguindo o acesso prometido ao mercado chinês, como está acordado na OMC", afirmou Zoellick, em um comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.