Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Zona do euro cortou 453 mil empregos no 4º trimestre

O emprego na zona do euro caiu 0,3% no quarto trimestre do ano passado, após declínio de 0,1% no terceiro trimestre de 2008, de acordo com dados divulgados hoje pela agência de estatísticas Eurostat. O número de pessoas que estavam empregadas nos 15 países europeus da eurozona no período entre outubro e dezembro de 2008 diminuiu em 453 mil, bem mais do que a perda de 80 mil empregos registrada no trimestre imediatamente anterior.

NATHÁLIA FERREIRA, Agencia Estado

16 de março de 2009 | 10h09

Em relação ao quarto trimestre de 2007, o emprego na zona do euro ficou estável. A partir de janeiro deste ano, a eurozona passou a ser formada por 16 países europeus, com a adoção do euro pela Eslováquia.

Em todo o ano de 2008, o emprego cresceu 0,8% em relação a 2007, o que significa que 1,137 milhão de pessoas a mais estavam empregadas no ano passado.

Inflação

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da zona do euro subiu 0,4% em fevereiro ante janeiro, no primeiro aumento mensal desde setembro do ano passado. Na comparação com fevereiro de 2008, o CPI avançou 1,2%, segundo dados finais da agência de estatísticas Eurostat, divulgados hoje.

Em janeiro deste ano, o CPI havia registrado queda recorde de 0,8% ante dezembro do ano passado e alta de 1,1% na comparação com janeiro de 2008.

O núcleo do CPI, que exclui variações de preços de energia, alimentos, álcool e tabaco, subiu 0,5% em fevereiro ante janeiro e avançou 1,7% na base anual. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
zona do euroempregoinflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.