Reuters
Reuters

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Zona do euro escapou por pouco de recessão em 2014, mostra PMI

Fraqueza de dados macroeconômicos preliminares indica que a região poderá registrar retração econômica em 2015, avalia consultoria

REUTERS

06 de janeiro de 2015 | 07h32

LONDRES - A economia da zona do euro encerrou 2014 com seu pior trimestre em mais de um ano já que mais cortes de preços falharam em elevar de forma significativa a atividade empresarial, mostra o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

Para Chris Williamson, economista-chefe da Markit Economics, que compila a pesquisa, a zona do euro vai olhar para 2014 como um ano em que a recessão foi evitada por uma margem muito pequena, "mas a fraqueza dos dados da última pesquisa sugere que não há garantia de que uma nova retração econômica não será vista em 2015". A zona do euro poderá entrar em recessão em 2015, avalia a Markit.

A pesquisa destacou uma fraqueza contínua na França e na Itália e apenas uma performance cambaleante na Alemanha, maior economia da Europa.

O fraco desempenho econômico da zona do euro e o risco crescente de deflação aumentam a pressão para que o Banco Central Europeu (BCE) amplie suas medidas de estímulo monetário. Vários analistas preveem que o BCE poderá anunciar um programa de compra de bônus soberanos na próxima reunião de seu conselho diretor, em 22 de janeiro.

2014. O PMI Composto final de dezembro, com base em pesquisas junto a milhares de empresas na região e considerado bom indicador de crescimento, ficou em 51,4, abaixo da preliminar de 51,7.

Embora tenham superado a mínima de 16 meses de novembro de 51,1 e alcançado ao 18º mês acima da marca de 50 que separa crescimento de contração, Williamson disse que o indicador aponta crescimento do PIB no quarto trimestre de apenas 0,1 por cento.

Um subíndice do PMI Composto mostrou que as empresas estão cortando os preços há quase três anos. Ele atingiu 48,1 ante 47,6 em novembro.

Isso teve apenas um efeito marginal no PMI sobre o dominante setor de serviços da região, que avançou para 51,6 contra 51,1 em novembro e preliminar de 51,9. (Com informações da Dow Jones Newswire)

Tudo o que sabemos sobre:
zona do euro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.