Zona do euro pode ter recessão se juros de títulos continuarem altos

Para a S&P, problema pode ser evitado por boa parte dos países da região se houver maior integração fiscal

Álvaro Campos, da Agência Estado,

23 de novembro de 2011 | 13h16

DUBLIN - A agência de classificação de risco Standard & Poor's alertou nesta quarta-feira, 23, para o alto risco de recessão em boa parte da zona do euro no ano que vem, caso os yields dos bônus soberanos permaneçam em níveis elevados e os balanços patrimoniais dos bancos da região continuem a encolher.

Entretanto, uma integração fiscal maior e transferências entre países podem ajudar a aliviar alguns dos desequilíbrios e mitigar as pressões enfrentadas por membros problemáticos do bloco, segundo afirmou David Beers, diretor-gerente da divisão de ratings soberanos da S&P, durante uma conferência empresarial na Irlanda.

"Uma recessão na zona do euro, se prolongada, sem dúvida prejudicaria os esforços de consolidação fiscal, incluindo aqui nesse país (Irlanda), e intensificaria as pressões de baixa sobre a credibilidade de diversos membros da zona do euro", disse Beers.

O representante da S&P também afirmou que espera ver uma cooperação ainda maior entre o Banco Central Europeu (BCE) e a União Europeia para a solução da crise.

Sobre a situação da Irlanda, Beers comentou que o país enfrenta "novas ameaças", mas que a implementação das medidas de austeridade é a resposta certa, e pode servir de exemplo para o restante da zona do euro. As informações são da Dow Jones. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.