Zona do euro tem queda recorde de emprego no trimestre

O número de pessoas empregadas na zona do euro diminuiu em 1,2 milhão durante o primeiro trimestre deste ano, o que representa o maior declínio no mercado de trabalho dos países europeus que compartilham o euro desde que os registros começaram, em 1995, segundo dados da agência de estatísticas Eurostat. Em termos porcentuais, o número de trabalhadores ativos na zona do euro caiu 0,8% nos primeiros três meses de 2009, no terceiro trimestre consecutivo de queda no emprego. Em comparação anual, o emprego caiu 1,2% no período entre janeiro e março deste ano.

NATHÁLIA FERREIRA, Agencia Estado

15 de junho de 2009 | 08h16

Entre os 16 países membros da zona do euro cujos dados estão disponíveis, a Espanha sofreu a maior queda no emprego, de 3,1% no primeiro trimestre de 2009 em relação ao quarto trimestre de 2008 e de 6,4% na comparação com igual período de 2008.

Na União Europeia (UE) como um todo, que abrange 27 países europeus, o número de empregados diminuiu 1,9 milhão no primeiro trimestre de 2009, equivalente a um declínio de 0,8%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
empregozona do euro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.