Zona oeste lidera e dobra volume de lançamentos

25% dos novos projetos estão em obras na região,que recebeu mais de 7 mil apartamentos em 2017

Heraldo Vaz ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

12 Junho 2018 | 05h00

25% dos novos empreendimentos que desembarcaram em São Paulo no ano passado estão em obras na zona oeste, que conquistou o topo do ranking ao, praticamente, dobrar o número de novos apartamentos, subindo de 3,6 mil em 2016 para 7,1 mil unidades. Os dados, tabulados pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP), dão o segundo lugar à zona norte, com um quinto do total lançado na cidade.

Na zona oeste, o principal destaque fica para Raposo Tavares, distrito cortado pela rodovia com o mesmo nome e colado ao Butantã, que recebeu 1.760 imóveis novos. Ali, foi lançada a primeira fase do bairro planejado Reserva Raposo, destinado à baixa renda. É uma incorporação do grupo Rezek com vendas da Lopes. No total, serão 17 mil unidades, diz a diretora executiva da imobiliária, Mirella Parpinelle: “É um projeto gigante.” Pinheiros, com 1,4 mil apartamentos, e Lapa, com 1,2 mil, também contribuíram para a liderança da região.

O principal impulso para a expansão imobiliária da zona norte chegou de Pirituba, o distrito campeão de lançamentos na cidade, com 3,5 mil unidades, e onde está localizado o Grand Reserva Paulista, um megaprojeto com 25 torres da MRV Engenharia. Jaraguá, também na zona norte, ganhou 1.020 imóveis. A República fecha a lista, onde também aparecem Brás, Cambuci, Sé e Vila Andrade. Somados, os dez distritos representam metade dos lançamentos na capital em 2017.

Os números divulgados pelo Secovi-SP têm como base os registros da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), que adota o critério de zonas de valor em vez da divisão geográfica por distritos. No ranking dos 10 mais, Pinheiros tem o preço médio mais alto, com R$ 13,6 mil por m², e Jaraguá o menor: R$ 4,3 mil. Rankings de zonas de valor com maior movimentação imobiliária e estoque de novos projetos aprovados são informações da nova edição do Relatório Anual da Embraesp, diz a coordenadora de pesquisa e análise de mercado, Samantha Furlan. Disponível a partir deste mês, o anuário custa R$ 600 e traz estatísticas da região metropolitana, comparativos com os dados de São Paulo, evoluções históricas do número de empreendimentos e unidades, além de preços médios do mercado, entre outros dados do setor.

A Gafisa fez lançamentos nas duas cidades. Moov Parque Maia, ano passado em Guarulhos, e Belvedere Lorian Boulevard, este ano em Osasco.  A região metropolitana já teve maior participação no mercado, em unidades lançadas e vendidas, afirma o diretor de incorporação da empresa, Guilherme Carlini, citando o programa Minha Casa Minha Vida. “Parte do volume que não foi lançado na região metropolitana se deslocou para a capital, principalmente os empreendimentos mais baratos.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.