Zoomp compra quatro grifes e vira gigante da moda

Grupo vai gerir marcas, como as recém-compradas Fause Haten, Herchcovitch, Clube Chocolate e Cúmplice

Ana Paula Lacerda, O Estadao de S.Paulo

03 de janeiro de 2008 | 00h00

A Zoomp, que desde 2006 é controlada pelo grupo HLDC, anunciou ontem a criação de um grupo de gestão de marcas de moda chamado Identidade Moda (I?M), além da compra de quatro grifes: Clube Chocolate, Fause Haten, Cúmplice e Herchcovitch;Alexandre."Estamos fazendo no Brasil um movimento que já ocorre nos Estados Unidos e na Europa há cerca de 15 anos", afirmou o presidente da Zoomp, Vicente Mello. Além da Zoomp e das quatro novas marcas, o grupo já contava com a marca Zapping, de estilo street wear. "As marcas continuarão independentes, cada uma com seu diretor de criação, mas crescerão muito economicamente, por melhorias de gestão."Fontes de mercado comentam que o grupo estaria negociando com o grupo Valdac a aquisição das marcas Crawford e Siberian por cerca de R$ 300 milhões, mas Mello não comenta o assunto. "Não posso comentar. Existem muitos boatos no mercado sobre quem fala com quem." Segundo fontes de mercado, também estaria nos planos do grupo a grife Farm, do Rio de Janeiro.Após passarem mais de um ano sanando os problemas financeiros da Zoomp - entre eles, uma dívida de cerca de R$ 30 milhões - a dupla Enzo Monzani e Conrado Will, donos do HLDC, iniciaram a diversificação de seu grupo de gestão de marcas. A idéia do I?M é controlar marcas que formem um guarda-roupa completo. Além das grifes, o grupo HLDC tem outro negócio no Brasil: são os controladores da BenQ Mobile, de telefones celulares.Das grifes adquiridas, a Fause Haten (do estilista de mesmo nome) representa a moda festa; Clube Chocolate é de roupas de luxo; Cúmplice é uma moda mais casual, dentro do conceito de fast fashion; e Herchcovitch; Alexandre traz peças de vanguarda, reconhecidas pelo design. É também a marca mais internacionalizada do Grupo I?M, com uma loja em Tóquio, e já há planos de abrir uma loja em Nova York e outra no Brasil. Desde o ano passado, o estilista Alexandre Herchcovitch exerce as funções de diretor-criativo e de curador de marcas do grupo - sua opinião pesou para a formação do novo leque de marcas da empresa.Para todas as seis grifes, existe plano de expansão com novas lojas. "Estamos estudando os locais e shoppings centers cujo perfil mais se enquadra com cada grife", explica Mello.UNIFICAÇÃONa segunda quinzena de janeiro, será inaugurado o showroom da I?M, na esquina da rua Bela Cintra com a rua Estados Unidos, na região dos Jardins, em São Paulo. "Cada uma das seis grifes terá seu espaço e atendimento diferenciado", diz o presidente da Zoomp.A Zoomp, que foi a primeira marca dentro do projeto I?M, deve abrir mais oito lojas este ano. A expectativa é que a Zoomp tenha fechado 2007 com um faturamento de R$ 150 milhões, 30% acima do obtido em 2007."Muitas marcas nacionais ainda estão sob o comando de seus fundadores, e podem crescer muito com a criação dos grupos de gestão", diz ele.De dois anos para cá, esse tem sido o principal movimento do mercado de moda brasileiro. A grife Rosa Chá foi comprada pela catarinense Marisol. O grupo BR Labels controla as nacionais VR Menswear e a Mandi, além da americana Calvin Klein no Brasil. A AMC Têxtil controla a Colcci, a Carmelitas e a Coca-Cola Clothing Line.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.