Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Braskem diz não ter sido intimada após citação em depoimento na Lava Jato

O doleiro Alberto Youssef afirmou que a empresa foi beneficiada pelo esquema de corrupção na Petrobrás, o que fez com que as ações da companhia caíssem cerca de 20%

Beth Moreira, O Estado de S. Paulo

16 de março de 2015 | 12h05

SÃO PAULO - A Braskem informa, em resposta à questionamento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) sobre possível envolvimento na Operação Lava Jato, que notícias publicadas na imprensa nacional na última semana sobre o tema fazem referência a um documento público divulgado pelo site do Ministério Público Federal (MPF), no âmbito de procedimentos legais contra terceiros.

A empresa informa ainda que não foi intimada em qualquer procedimento relativo aos fatos descritos no site do MPF, tendo sua administração sido surpreendida pelas alegações contidas no referido documento e destaca que divulgou fato relevante diante da oscilação atípica das ações da empresa na Bolsa.

A empresa lembra, inclusive, que a divulgação do fato relevante durante o pregão implicou na suspensão das negociações por um período de 30 minutos. "A divulgação do fato relevante não trouxe nenhum fato novo em relação às noticias divulgadas pela imprensa, mas apenas demonstrou o comprometimento da companhia em averiguar os fatos mencionados e manter o mercado informado sobre sua evolução", diz a petroquímica.

A empresa informa ainda que sua administração está elaborando um plano de ação para elucidação dos fatos citados. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.