Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Chegou o momento de dar um passo a mais na governança, diz presidente da CVM

Leonardo Pereira considera que o Brasil avançou com a criação do Novo Mercado, mas que 'desacertos' poderiam ser evitados com governança mais efetiva nas companhias

Fernanda Guimarães, O Estado de S. Paulo

03 de agosto de 2015 | 11h31

O presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Leonardo Pereira, disse que chegou o momento de se dar um passo a mais em relação à governança corporativa das companhias brasileiras. Pereira lembrou que, na década passada, o País deu um largo passo em relação à governança com a criação do Novo Mercado, o segmento de maior exigência de governança da Bolsa brasileira, lançado em 2000. "Não foi apenas o Novo Mercado, mas todo o debate anterior à sua criação", disse, em evento em São Paulo.

Pereira falou ainda que muitos "desacertos" que aconteceram recentemente no mercado brasileiro poderiam ter sido evitados, ou mitigados, caso houvesse uma governança mais efetiva nas companhias. "O mercado de capitais só é sustentável para ser uma alternativa de financiamento de longo prazo se governança corporativa for discutida e implementada", disse, em apresentação.

Segundo o presidente da autarquia, a situação desafiadora que o mercado enfrenta hoje requer a evolução de questões sensíveis e um dos objetivos é dar mais segurança ao investidor. Ele citou como pontos-chave a divulgação de informações de forma tempestiva e precisa e, ainda, a atuação independente de auditores.

A consolidação do mercado de capitais como alternativa de investimento de longo prazo é fundamental, destacou, principalmente aos países emergentes, caso do Brasil. Com a atuação em melhoria da governança, disse, um dos efeitos é a atração de potenciais investidores, que passam a se sentir mais seguros para a realização do investimento. 

Tudo o que sabemos sobre:
Governança corporativa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.