China endurece regras para operações nos mercados de ações

Órgão regulador chinês impôs novas regras para o mercado nacional de ações, impondo limites para negócios de alto risco

O Estado de S. Paulo

17 Abril 2015 | 14h55

Os reguladores chineses fizeram contundentes alertas sobre o avanço do mercado acionário no país e tornaram mais rigorosas as regras para margem de operação, depois que as bolsas do país informaram que iriam facilitar as apostas contra ações. Tal posicionamento desencadeou uma onda de preocupação em todo o mundo, diante da possibilidade de arrefecimento do mercado acionário chinês.

A Comissão de Valores Mobiliários da China proibiu um tipo de empréstimo para margem de operação e impôs limites de margem para negócios de alto risco, realizados em balcão.

O órgão regulador advertiu os pequenos investidores, que têm sido influenciados pela disparada das ações, a não tomarem empréstimos ou venderem imóveis para comprar ações. Os investidores abriram contas em corretoras no maior ritmo já visto na semana encerrada em 10 de abril e os saldos das margens de operação bateram o recorde de 1,16 trilhão de yuans (US$ 190 bilhões) em 16 de abril, de acordo com a Bolsa de Xangai.

Segundo a CVM chinesa, é necessária uma melhor classificação das contas de clientes, o que indica a possibilidade de que limites sejam impostos de acordo com o tipo de investidor.

Tais mudanças podem alterar a dinâmica do mercado acionário chinês, que foi impulsionado por regras que facilitam apostar contra ações. Os investidores podem alugar ações e vendê-las, acreditando que os preços cairão no futuro e, então, poderão recomprá-las por um valor menor.

Entretanto, vem sendo difícil vender a descoberto na China mesmo com a valorização dos papéis por falta de ações para locação. As bolsas informaram que iriam pressionar por um aumento na oferta de papéis para empréstimo e pela ampliação do leque de ações que poderiam ser alugadas.

Em comunicado, as bolsas afirmam que "as margens de operação têm crescido rapidamente, mas as vendas a descoberto estão se desenvolvendo lentamente".

De acordo com a mídia chinesa, os órgãos regulares devem permitir que os gestores de fundos aluguem os papéis de suas carteiras para vendas a descoberto. (Com informações da Dow Jones Newswires).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.