Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

Conselho da Petrobrás elege João Elek Junior como diretor da área de Governança

Executivo, que já foi diretor em companhias como Fibria Celulose, NET e AT&T, comandará a área responsável por assegurar 'conformidade processual e mitigar riscos, dentre eles, os de fraude e corrupção'

Natalia Gómez, Agência Estado

13 de janeiro de 2015 | 19h59

O conselho de administração da Petrobrás aprovou nesta terça-feira a indicação de João Adalberto Elek Junior para o cargo de diretor de Governança, Risco e Conformidade. Segundo a estatal, o novo diretor terá a missão de "assegurar a conformidade processual e mitigar riscos nas atividades da Petrobrás, dentre eles, os de fraude e corrupção, garantindo a aderência a leis, normas, padrões e regulamentos, internos e externos à companhia".

Segundo a Petrobrás, o conselho elegeu o executivo com base em uma lista tríplice de profissionais brasileiros pré-selecionados por meio de processo conduzido pela empresa Korn Ferry, especializada em seleção de executivos.


O mandato do diretor será de três anos, podendo ser renovado. Sua destituição somente poderá ocorrer por deliberação do conselho de administração, com quórum que conte com o voto de pelo menos um dos conselheiros de administração eleitos pelos acionistas minoritários ou preferencialistas.

A empresa destacou que o executivo participará das decisões da diretoria executiva da Petrobrás e que as matérias a serem submetidas ao colegiado deverão contar com a manifestação favorável do executivo quanto à governança, gestão de riscos e conformidade dos procedimentos.

Elek Junior também vai integrar o Comitê Especial que atuará como interlocutor das investigações internas independentes conduzidas pelos escritórios Trench, Rossi e Watanabe e Gibson, Dunn & Crutcher. Conforme divulgado em dezembro, os demais integrantes do Comitê Especial são a ministra aposentada do Supremo Tribunal Federal Ellen Gracie Northfleet e Andreas Pohlmann.

A contratação do novo diretor será formalizada nos próximos dias, segundo o comunicado. Elek Júnior foi diretor financeiro da Fibria Celulose, onde exerceu as funções de Relações com Investidores, Controle e Gestão de Riscos e Finanças.

Anteriormente, foi diretor Financeiro e de Relações com Investidores da operadora de telecomunicações NET. Também passou pelos cargos de diretoria Executiva e Financeira na operadora americana AT&T para o Brasil e América Latina, respectivamente. O executivo, graduado engenharia eletrônica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, atuou ainda como diretor Financeiro na área de varejo do Citibank.

Urgência. A Petrobrás teve urgência em aprovar um nome para ocupar o cargo de diretor da área de Governança, segundo o representante dos empregados no conselho de administração da estatal, Silvio Sinedino. Foram selecionados 77 currículos para disputar a vaga. Deste total, 36 pessoas foram entrevistadas e cinco nomes foram levados para avaliação da diretoria. Nesta terça-feira, o conselho de administração analisou três desses currículos, entre os quais o de João Adalberto Elek Junior, que foi o escolhido.

Em evento na sede da Associação dos Engenheiros da Petrobras (Aepet), Sinedino afirmou que não foi possível para a empresa entrevistar os donos de todos os currículos selecionados porque a meta era aprovar o novo diretor de Governança na reunião do conselho desta terça-feira. Elek ficará responsável pela análise e aprovação de todos os projetos, inclusive de construção de novas unidades, que a Petrobras desenvolverá daqui para a frente.

A escolha do diretor por meio de uma empresa especializada na seleção de executivos, a Korn Ferry, foi aprovada por Sinedino porque, em sua opinião, essa é uma forma de valorizar a meritocracia e com isso "coibir uma política de recursos humanos hierarquizada de supervalorização de diretores e gerentes" que, segundo ele, facilita a corrupção. Sinedino deixou nesta terça-feira a presidência da Aepet, mas é candidato à reeleição para uma cadeira no conselho da Petrobrás. / FERNANDA NUNES

Tudo o que sabemos sobre:
governançaPetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.