Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Fundo Nordea para de investir na JBS por questões ambientais

Grupo com sede na Finlândia anunciou que empresa brasileira foi excluída de todos os fundos que administra, por conta de questões como o risco de desmatamento na cadeia de suprimentos

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2020 | 13h35

 

O grupo Nordea Asset Management, com sede na Finlândia e que conta com € 220 bilhões sob gestão, decidiu excluir a empresa de carnes JBS de todos os  fundos que administra. Segundo Eric Pedersen, o chefe da área de Investimentos Responsáveis da gestora, a decisão se deu após um período de conversas entre o Nordea e a empresa brasileira, em que questões relativas ao meio ambiente e à governança corporativa não foram respondidas a contento. 

"A Nordea Asset Management decidiu, este mês, excluir a JBS de todos os nossos fundos. A decisão foi tomada pelo nosso Comitê de Investimentos Responsáveis e após um período de engajamento com a empresa, onde não sentimos que estávamos vendo a resposta que estávamos procurando", disse Pedersen, em comunicado enviado ao Estadão/Broadcast.

Nessa interação com a JBS, destacou ele, foram contempladas diversas questões relacionadas à temática ESG (ambiental, social e de governança corporativa, nas iniciais  em inglês). Dentre elas, o risco de desmatamento na cadeia de suprimentos da empresa, a forma que a empresa tem lidado com as acusações de corrupção e, ainda, a maneira como foi tratada a segurança de seus funcionários em meio à pandemia da covid-19.

Pedersen citou que seus fundos ESG já evitam companhias que tenham esse tipo de exposição, como os apontados no caso da JBS, mas que agora o movimento é mais amplo, de forma a abranger também os demais fundos da gestora. "Isso ocorre para que a nossa base de clientes mais ampla possa permanecer confortável com o nível de risco de sustentabilidade em seus investimentos", disse.

Procurada, a  JBS afirmou, em nota, que "todos os seus instrumentos de governança são rígidos e têm sido aprimorados e evoluído de forma robusta nos últimos anos".  "A JBS também está totalmente comprometida com a erradicação do desmatamento em toda sua cadeia de fornecimento e foi uma das primeiras empresas do setor a investir em políticas e tecnologia para combater, desencorajar e eliminar o desmatamento na região da Amazônia. Esse trabalho se baseia em investimentos em sistemas e projetos de monitoramento e tem origem em uma rigorosa Política de Compra Responsável de matéria-prima, implementada desde 2009", segundo a nota.

 Sobre a sua cadeia de suprimentos, a JBS disse que as fazendas fornecedoras que não cumprem essa política da JBS são imediatamente bloqueadas.

Investimento ESG

Hoje, dos € 220 bilhões sob gestão, Pedersen destaca que 30% do portfólio tem especificamente o foco em ESG, mas que essa fatia vai crescer ao longo do tempo. O Nordea foi um dos fundos que se reuniram neste mês, por teleconferência, com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão - presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal.

Já sob a ameaça de retirada de investimentos do País, os fundos estrangeiros colocaram cinco principais questões à mesa relacionadas ao clima e desmatamento, assuntos que hoje estão pressionando o governo brasileiro a se comprometer com temas relacionados à sustentabilidade. Eles solicitaram, por exemplo, que o Brasil reduza suas taxas de desmatamento, demonstre esforços para cumprir o compromisso estabelecido com a Lei do Clima e aplique o Código Florestal do Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.