Divulgação/IBGC
Divulgação/IBGC

IBGC anuncia agenda positiva de governança para empresas brasileiras

Anúncio foi realizado no última dia do 21º Congresso IBGC; documento traz medidas para guiar organizações nas boas práticas de governança corporativa

Heloísa Scognamiglio, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2020 | 17h36

O Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) anunciou nesta sexta-feira, 27, o lançamento de uma agenda positiva com 15 medidas, baseadas em seis pilares, a serem tomadas pelos líderes e agentes de governança de organizações de todos os setores e portes. O anúncio foi realizado no último dia do 21º Congresso IBGC, que marcou os 25 anos do instituto e foi realizado inteiramente de forma online devido à pandemia do novo coronavírus.

Os seis pilares que nortearam a elaboração das medidas foram “Ética e Integridade”, “Diversidade e Inclusão”, “Ambiental e Social”, “Inovação e Transformação”, “Transparência e Prestação de Contas” e “Conselhos do Futuro”. 

Segundo Henrique Luz, presidente do conselho de administração do IBGC, o instituto tem tido como norteador, pelo menos nos últimos dois anos, um pensamento estratégico de se antecipar às mudanças provocadas pela sociedade. “A pandemia acelerou os processos de inovação e também de busca pela sociedade de mais equidade, de respeito às pessoas e valorização do meio ambiente. Isso é um movimento muito forte, muito claro, desses últimos oito meses”, disse.

Segundo Luz, as mudanças trazidas pela pandemia não somente reforçaram a necessidade da adoção de princípios e melhores práticas de governança, mas também levaram o IBGC a lançar um movimento no mercado para que os líderes das organizações exerçam um papel protagonista na resposta à sociedade para além de resultados econômicos e financeiros.

Cerca de 50 especialistas participaram da criação da agenda de forma voluntária, se reunindo em subgrupos temáticos de cada pilar e debatendo quais medidas práticas poderiam auxiliar uma transformação positiva das companhias.

Para Leila Loria, vice-presidente do Conselho do IBGC, a discussão sobre a agenda positiva está apenas começando. “A gente quer que isso seja de fato um começo e que cada um desses temas possa continuar evoluindo ao longo dos próximos anos, mas principalmente no próximo ano”, afirmou Leila.

A agenda positiva de governança já conta com o apoio de 30 organizações, entre elas a Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), a Associação Brasileira das Companhias Abertas (Abrasca), a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), a Associação de Investidores no Mercado de Capitais (AMEC), a B3, o Fórum de Empresas e Direitos LGBTI+, o Mais Diversidade e o Movimento Mulher 360.

É possível verificar mais detalhes sobre os pilares e as 15 medidas da agenda positiva de governança no site do IBGC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.