Presidente do Conselho da Usiminas nomeia membro suplente a contragosto da maioria

Ata de reunião extraordinária Conselho de Administração da siderúrgica evidencia, mais uma vez, a contínua falta de entendimento entre os acionistas da empresa

Karin Sato, O Estado de S. Paulo

06 de agosto de 2015 | 21h15

Ata de reunião extraordinária Conselho de Administração da Usiminas, realizada em 29 de julho, evidencia mais uma vez a contínua falta de entendimento entre os acionistas da empresa. O presidente do Conselho, Marcelo Gasparino da Silva, declarou nomeado Maury Fonseca Bastos para o cargo de seu membro Suplente, apesar dos votos contrários da maioria dos demais membros do grupo.

Votaram contra a nomeação os conselheiros Fumihiko Wada, Yoichi Furuta, Paulo Penido Pinto Marques, Daniel Agustín Novegil, Roberto Caiuby Vidigal, Elias de Matos Brito, Rita Rebelo Horta de Assis Fonseca e José Oscar Costa de Andrade.

Gasparino, que foi eleito neste ano, é o primeiro presidente do conselho que não foi indicado por acionistas controladores, que enfrentam uma disputa societária. A briga entre os controladores, o grupo ítalo-argentino Ternium/Techint e a japonesa Nippon Steel, se tornou pública após uma reunião do conselho de administração da Usiminas que culminou na destituição de três de seus principais executivos indicados pela Ternium, com o argumento de que teriam recebido bônus de forma irregular.

Gasparino justificou sua posição nos termos da decisão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), processo nº RJ 2015-2925, de 15 de junho de 2015, que considera apenas os votos favoráveis aos candidatos apresentados, o que, na sua visão, se aplica a essa eleição.

Nesse processo, o entendimento da autarquia foi de que "não há possibilidade de cômputo de votos contrários na eleição de administradores, devendo este, se eventualmente proferido, ser desconsiderado para fins de quorum de deliberação, por força do que dispõe o art. 129 da Lei nº 6.404/76". Esse processo é, inclusive, referente à Assembléia Geral Extraordinária (AGE) da Usiminas que aconteceu em abril deste ano, em que os acionistas controladores votaram contra a eleição de um membro do conselho, já que não houve entendimento em reunião prévia dos controladores.

A ata desta última reunião relata que os demais membros do conselho não compartilham da opinião de Gasparino e "não concordam que Bastos tenha sido devidamente nomeado", diz o documento.

Ainda nesta reunião, o conselho tomou conhecimento da renúncia do conselheiro titular Eiji Hashimoto. Os conselheiros remanescentes aprovaram, por unanimidade, a nomeação de Yoichi Furuta, para substituir Hashimoto, com mandato até a primeira Assembleia Geral a ser realizada, nos termos de comunicado recebido do Grupo NSSMC (composto por Nippon Steel & Sumitomo Metal Corporation).

O grupo ainda aprovou a indicação de Hashimoto para o cargo de terceiro membro suplente do conselho de administração. 

Tudo o que sabemos sobre:
usiminas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.