Estadão
Estadão

Ternium critica pedido para Cade investigar se houve mudança no controle da Usiminas

Em comunicado, grupo ítalo-argentino afirma que está seguro de que 'tudo não passa de mais uma tentativa de má-fé da CSN' para 'tumultuar o pleno andamento dos negócios da sua principal concorrente, a Usiminas'

Fátima Laranjeira, O Estado de S. Paulo

30 de janeiro de 2015 | 18h48

A Ternium divulgou um comunicado nesta sexta-feira criticando o pedido apresentado pela Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para averiguar suposta sonegação de informações por parte da Ternium no processo em que o órgão analisou o ingresso desta empresa no bloco de controle da Usiminas. Segundo fontes ouvidas pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, nesta quinta-feira, o Cade aceitou o pedido e irá investigar se houve mudança do controle da Usiminas, no momento da entrada do grupo ítalo-argentino Ternium-Techint no capital social da siderúrgica mineira, no início de 2012.

"A Ternium está segura de que tudo não passa de mais uma tentativa de má-fé da CSN de tumultuar o pleno andamento dos negócios da sua principal concorrente, a Usiminas, algo que a CSN já vem fazendo há algum tempo e, inclusive, já foi repreendida pelo próprio Cade por tal atitude", afirma a empresa no comunicado.


De acordo com a companhia, a Ternium conduziu o seu processo de notificação perante o Cade com "total transparência e lisura, tendo prestado àquela autoridade todas as informações pertinentes e que eram necessárias para que fosse realizada - como de fato foi - uma análise detida dos efeitos concorrenciais da operação nos mercados relevantes em questão".

A Ternium afirma ainda que as informações e documentos apresentado ao Cade incluíram acordos entre os membros do bloco de controle que previam direitos e obrigações da Ternium como acionista da Usiminas, os quais permanecem inalterados. "A Ternium tem certeza de que a decisão final do Cade confirmará que não houve qualquer sonegação de informações por parte da Ternium durante todo o processo."

Com a abertura da investigação, o Cade, na prática, vai rever o ato de concentração analisado na ocasião da operação.

Tudo o que sabemos sobre:
governançausiminas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.