Fracassa negociação entre Obama e Republicanos sobre dívida

Lider republicano abandona negociação e diz que a Casa Branca 'não é séria' quando fala em corte de gastos; ele deve se reunir com Obama e a líder democrata neste sábado

Renato Martins, da Agência Estado,

22 de julho de 2011 | 19h08

O presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, deputado John Boehner, desistiu de buscar um acordo com a Casa Branca para uma redução grande nos déficits do governo do país e comunicou essa decisão ao presidente Barack Obama. A informação é de assessores do Partido Republicano, ao qual Boehner pertence. Em carta a seus colegas de partido, ele disse que desistiu de negociar "não por causa das nossas personalidades (referindo-se a Obama), mas por causa das diferentes visões sobre nosso país".

Veja a íntegra da carta do deputado John Boehner.

A elevação do limite de endividamento dos Estados Unidos é, antes de mais nada, uma guerra política entre republicanos e democratas. De um lado o presidente Barack Obama apresenta um acordo para a redução do déficit que consista, principalmente, em cortes nos gastos, incluindo programas sociais. Na outra ponta os republicanos resistem e ameaçam obrigar os EUA a declarar moratória. Mas ambos os partidos têm um objetivo em comum: a eleição presidencial de 2012.

"Decidi encerrar as discussões com a Casa Branca e começar conversações com o Senado, de modo a encontrar um caminho para a frente", diz Boehner em carta a seus colegas no Congresso. "Ficou evidente que a Casa Branca simplesmente não é séria quanto a cortar gastos", diz a carta do deputado.

 

Durante pronunciamento nesta sexta, Obama disse que ofereceu a Boehner US$ 1 trilhão em cortes de gastos nos setores doméstico e de defesa e US$ 650 bilhões em cortes em programas sociais, de previdência e de saúde - como o Medicare e o Medicaid. "Acreditamos que era possível fazer isso de uma forma que mantivesse a integridade do sistema", disse o presidente dos EUA. "Em outras palavras, era um acordo extraordinariamente justo."

Obama pediu que Boehner e a deputada Nancy Pelosi, que lidera a minoria democrata na Câmara dos Representantes, compareçam amanhã à Casa Branca, às 12h (de Brasília), para negociar sobre o aumento no teto da dívida. O deputado republicano confirmou sua presença no encontro.

Assessores do Partido Republicano informaram que negociadores da Câmara, dominada pelos republicanos, e do Senado, onde o Partido Democrata tem maioria, vão se reunir no fim de semana para tentar definir que tipo de acordo eles poderiam fazer para elevar o limite legal de endividamento do governo dos EUA até 2 de agosto, de modo a evitar um default. As informações são da Dow Jones.

(Texto atualizado às 20h41)

Tudo o que sabemos sobre:
euacriseeconomiaJohn Boehner

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.