4 empresas ofertam propostas para plataformas da Petrobras

Quatro empresas apresentaram propostas para a construção de dois navios-plataforma do tipo FPSO (plataforma que produz, processa, armazena e escoa petróleo), que a Petrobras está licitando para instalar inicialmente no estado do Espírito Santo.Os FPSOs, entretanto, têm um diferencial para outros navios-plataforma já licitados anteriormente pela estatal: eles serão "genéricos". Ou seja, serão construídos de maneira que possam ser deslocados para diferentes campos da Petrobras e adaptados para diversas condições.Das 14 empresas convidadas, apresentaram as propostas a SBM, que tem sede em Mônaco, a italiana Saipem, a americana Modec e a norueguesa Prosafe. A Modec e a SBM ofertaram propostas para as duas unidades, enquanto a Prosafe e a Saipem optaram por fazer ofertas apenas para um dos FPSOs. Entre as empresas que declinaram e não apresentaram propostas estão as brasileiras Odebrecht, Schain e Queiroz Galvão, entre outras internacionais.Os FPSOs serão afretados pela Petrobras por um período de nove anos, sendo que no terceiro, sexto e nono anos a Petrobras poderá exercer o direito de compra das unidades. O prazo para a entrega das plataformas é meados de 2008.Uma das embarcações será destinada à produção de óleo e gás, com capacidade para 100 mil barris por dia e 3,5 milhões de metros cúbicos de gás natural. Inicialmente, esta plataforma deverá atender aos planos emergenciais da Petrobras de desenvolver campos de gás e óleo leve, e será instalada no campo ESS-130, localizado na Bacia de Campos, jurisdição do Espírito Santo, e que ainda não teve declarada sua comercialidade.A outra unidade, voltada exclusivamente para produção de gás, terá capacidade para 10 milhões de metros cúbicos por dia. Esta unidade também poderá produzir mais de 30 mil barris de óleo por dia, capacidade que não será utilizada num primeiro momento, quando ela for instalada no campo ESS-164, na Bacia do Espírito Santo, que também não teve ainda declarada sua comercialidade. A conclusão do processo licitatório deve ocorrer em meados de novembro ou no máximo início de dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.