À espera de ata do Fed, bolsas europeias recuam

Banco Central dos EUA divulga ata referente à última reunião de política monetária do banco após fechamento do mercado e investidor mantém cautela

21 de agosto de 2013 | 13h40

As bolsas europeias fecharam em baixa, com os investidores se preparando para a divulgação da ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve, na tarde desta quarta-feira, 21. "Hoje tinha de ser um dia de cautela, com os operadores europeus cientes de que o evento mais importante (...) aconteceria depois do fechamento dos mercados", destacou Alastair McCaig, analista da IG. O índice Stoxx 600 caiu 0,5%, para 300,61 pontos, o nível mais baixo desde o fim de julho.

Londres terminou a sessão com queda de 0,97% no índice FTSE-100, aos 6.390,84 pontos, o nível de fechamento mais baixo desde julho. Dados publicados nesta quarta-feira, 21, mostraram que o governo do Reino Unido tomou mais empréstimos do que o esperado em julho, o que resultou no primeiro déficit orçamentário em três anos. As mineradoras estiveram entre os principais destaques, afetadas também pela expectativa em relação ao índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) HSBC da China, que será divulgado na noite desta quarta-feira. BHP Billiton e Rio Tinto caíram 2,6% e 2,0%, respectivamente.

O índice DAX da Bolsa de Frankfurt recuou 0,18%, para 8.285,41 pontos. Um analista afirmou que o aumento maior do que o previsto nas vendas de moradias usadas nos EUA alimentou as expectativas de que o Fed vai reduzir seu programa de compras de bônus em breve. ThyssenKrupp caiu 1,5%, Deutsche Bank declinou 1,1% e Henkel perdeu 1,0%.

Em Paris o CAC-40 teve queda de 0,34%, para 4.015,09 pontos, depois de apresentar leve alta em alguns momentos da sessão. "Houve poucos indicadores econômicos ou notícias relevantes que dessem direção mais firme aos negócios durante o pregão de hoje", disse um operador local. Na contramão do índice, Veolia Environnement saltou 8,3% depois de ter a recomendação para seus papéis elevada pelo Morgan Stanley.

A Bolsa de Milão terminou com baixa de 0,72% no índice FTSE MIB, para 16.877,93 pontos, pressionado principalmente por ações do setor bancário. Intesa Sanpaolo recuou 0,4% e UniCredit perdeu 1,2%. Em outros setores, Finmeccanica declinou 3,0% e Telecom Italia apresentou -2,2%. Os bancos também puxaram as quedas em Madri, onde o Ibex-35 cedeu 0,48%, para 8.461,80 pontos. BBVA e Santander caíram 0,8% e 0,7%, respectivamente.

A única bolsa europeia que terminou a sessão em alta, entre as principais da região, foi a de Lisboa, onde o índice PSI-20 subiu 0,03%, para 5.860,41 pontos. Analistas atribuíram o leve ganho ao leilão bem sucedido de dívida do governo realizado pela manhã, no qual foi vendido um total de 1,0 bilhão de euros em títulos de três e 12 meses, o valor máximo pretendido. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresFedata

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.