À espera de reunião do Fed, NY abrirá de olho no Iraque

As bolsas dos Estados Unidos devem abrir o pregão desta quarta-feira, 18, perto da estabilidade, sinalizam os índices futuros. As atenções estão voltadas para o final da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) e entrevista de sua presidente, Janet Yellen, em seguida. Às 10h20 (de Brasília), no mercado futuro, o Dow Jones subia 0,01%, S&P 500 tinha alta de 0,04% e o Nasdaq ganhava 0,15%.

ALTAMIRO SILVA JÚNIOR, CORRESPONDENTE, Agência Estado

18 de junho de 2014 | 10h36

O comunicado final do encontro do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) será divulgado às 15h (de Brasília). Meia hora depois Yellen fala à imprensa e os economistas esperam que ela dê mais pistas sobre quando os juros do país voltarão a subir. A expectativa por mais detalhes tem aumentando nos últimos dias, na medida em que a inflação está se acelerando e o desemprego caindo, dois importantes balizadores da estratégia de política monetária do Fed.

Além do esperado corte de US$ 10 bilhões no ritmo mensal das compras de ativos, os economistas do Morgan Stanley projetam que as estimativas de crescimento econômico e da taxa de desemprego dos EUA para este ano serão revistas para baixo, enquanto a da inflação será elevada. Na reunião de março, o Fed divulgou que espera avanço entre 2,8% e 3% para o PIB dos EUA este ano e agora deve reduzir o número mais para a casa dos 2%.

Nesta manhã, na expectativa pelo resultado da reunião, os índices futuros pouco oscilam, operando próximos à estabilidade. Ontem, o volume de negócios foi classificado como "anêmico" por operadores e até o início da tarde de hoje deve continuar baixo. Os investidores só devem assumir posições mais expressivas no mercado financeiro após a divulgação do comunicado do Fomc. A estrategista da gestora BK Asset Management, Kathy Lien, destaca em um e-mail a investidores que qualquer mudança inesperada nos rumos da política monetária, ou mesmo uma sinalização de que a alta de juros pode ocorrer antes do previsto, deve mexer com os preços dos ativos hoje, influenciando bolsa, dólar e os juros ("yields") dos papéis do Tesouro dos EUA.

Enquanto espera o Fed, Wall Street segue monitorando a situação no Iraque. Hoje, os rebeldes sunitas atacaram a principal refinaria de petróleo e deixaram o prédio em chamas, segundo agências internacionais de notícias. O presidente Barack Obama fará uma reunião na Casa Branca hoje à tarde para atualizar deputados e senadores sobre a situação no país.

No mundo corporativo, as expectativas estão voltadas para a Amazon, que fará um evento nesta quarta-feira, 18, para anunciar o lançamento de um produto. A imprensa especula que é um celular próprio e alguns especialistas dizem que o aparelho terá tecnologia 3D controlada por meio de gestos. O evento será a partir das 14h30 (de Brasília) em Seattle e comandado pelo presidente da Amazon, Jeff Bezos. O interesse é tanto que as inscrições para ver a transmissão ao vivo pela internet se esgotaram. No pré-mercado, o papel da empresa subia 0,37%.

Já a empresa de entregas FedEx anunciou na manhã de hoje resultados com números acima do esperado pelos analistas. O lucro no trimestre ficou em US$ 730 milhões, avanço de 7,5% ante igual período do ano passado. No pré-mercado, a ação subia 3,58%.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresNYFed

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.