A onda milionária dos "Rebeldes"

Gostem ou não, os pais que ouvem seus filhos cantando "Y Soy Rebelde" e falando da novela "Rebelde" terão ainda mais contato com esse nome: até setembro, o número de empresas que lançam produtos com a marca Rebelde subirá de 6 para 27. As novidades incluem figurinhas e gel para cabelos, totalizando 500 produtos.A Redibra, empresa que licencia a marca no Brasil, está otimista. "Os produtos devem movimentar cerca de R$ 200 milhões em um ano", disse o diretor da companhia, David Diesenbruck. Ele admite que a cifra é alta, pois o mercado de produtos licenciados no Brasil costuma movimentar R$ 2,7 bilhões, mas diz que Rebelde está vendendo muito. "Foram 20 milhões de figurinhas e 10 milhões de revistas em três meses. Um milhão e meio de DVDs. Cem mil bonecas. Rebelde agrada às crianças e aos adolescentes."Fora os acordos fechados, David diz que já estão sendo negociados ovos de Páscoa e chocolates com a marca. Há sinais de que os personagens da novela viraram uma febre. No Google brasileiro, "Rebelde" foi a palavra mais procurada em junho. Em segundo lugar ficou "Copa do Mundo". No Orkut, existem cerca de 10 mil comunidades sobre a novela.A Revlon, que nunca havia licenciado uma marca, resolveu apostar. "Lançamos xampus, condicionadores e uma linha de gel que fixa e colore ao mesmo tempo, pois os personagens têm cabelos muito coloridos", afirmou o diretor da Revlon, Gustavo Hildebrand. "Esperamos que essa linha represente 5% dos nossos negócios este ano."A Multitoys licenciou a produção das roupas dos personagens em tamanho infantil. "Tanto meninos como meninas querem se vestir como eles" disse o diretor da empresa, Fernando Tomioto. "Temos roupas para crianças de 2 a 14 anos, e esperamos vender o equivalente a R$ 1 milhão em 2006."

Agencia Estado,

09 de agosto de 2006 | 09h48

Tudo o que sabemos sobre:
empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.