Ação da Ipiranga dispara e alimenta rumor de venda

A alta das ações da Ipiranga no pregão de ontem da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) reacendeu os rumores sobre a venda da companhia. E desta vez, a Petrobras parece estar sozinha no páreo. Fontes do mercado apostam que a estatal anuncie a operação nos próximos dias. Se confirmado, o negócio ampliará a fatia de mercado da empresa dos atuais 32% para 50%. A Petrobras chegou a disputar a Ipiranga com outras empresas, como a espanhola Repsol, em um processo de venda que movimentou o mercado de combustíveis no início da década. As negociações, na época, não chegaram a nenhuma conclusão, segundo analistas, em razão do alto preço pedido pelos acionistas para a companhia, que enfrentava dificuldades financeiras. Além disso, a intrincada teia de acionistas dificultava uma melhor avaliação pelos compradores. Nos últimos anos, porém, a Ipiranga passou por um intenso processo de saneamento financeiro. Em 2006, o grupo teve um lucro de R$ 533,8 milhões, 3,1% superior ao registrado no ano anterior. A empresa bateu recordes na venda de combustíveis e de produção de resinas petroquímicas, mas vem enfrentando problemas na área de refino, já que não consegue competir em igualdades de condições com a Petrobras. A empresa promoveu também uma reestruturação acionária. Os rumores sobre venda da companhia, no entanto, arrefeceram e há tempos as cinco famílias acionistas - Tellechea, Ormazabaal, Gouvêa Vieira, Matos e Aguiar - deixaram de freqüentar o noticiário. Fontes próximas à estatal, no entanto, garantem que o negócio já foi fechado. Ontem, o conselho de administração da companhia se encontrou em reunião extraordinária, o que reforça as suspeitas. As ações do grupo Ipiranga subiram 3,57%, enquanto índice Bovespa caiu 1,27%. Na época em que disputou o negócio, a Petrobras esbarrou também na resistência de órgãos de defesa da concorrência, que não queriam um aumento na já grande participação da estatal no mercado de combustíveis. Chegou-se a falar em uma parceria com a portuguesa Petrogal, como forma de driblar os obstáculos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.