Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Ação da JBS cai 10% na Bolsa após operação da PF

Operação Greenfield investiga aporte de fundos de pensão estatais em empresas

Camila Turtelli e Marcelle Gutierrez, O Estado de S.Paulo

05 Setembro 2016 | 11h54
Atualizado 05 Setembro 2016 | 17h44

SÃO PAULO - As ações ordinárias da JBS foram o destaque de baixa do Ibovespa, com um tombo de 10,04%, em meio à deflagração da Operação Greenfield, que investiga aportes de fundos de pensão estatais em empresas. Os irmãos Wesley e Joesley Batista, sócios da holding J&F, que controla a empresa de alimentos, tiveram de prestar depoimento à Polícia Federal.

O papel da JBS foi o mais negociado da sessão, mesmo em um dia de poucos negócios por conta de feriado nos Estados Unidos. O Ibovespa - principal índice da Bolsa -, por sua vez, terminou praticamente estável, com baixa de 0,08%.

A PF cumpriu mandados de busca e apreensão nesta segunda-feira nos endereços residenciais dos irmãos Batista e nas empresas eles. Tanto a J&F quanto a Eldorado Celulose foram alvo da Operação Greenfield. 

A J&F divulgou nota afirmando que a empresa e seus executivos colaboram com as investigações da Polícia Federal e estão à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos necessários.

Na nota, a empresa afirma que os investimentos feitos pela Petros e Funcef na Eldorado foram de R$ 550 milhões no ano de 2009. "De acordo com o último laudo independente (Deloitte) emitido em dezembro de 2015, a participação dos fundos atualizada é de R$ 3 bilhões, ou seja 6 vezes o valor investido inicialmente", diz a empresa.

Petrobrás. No lado positivo, Petrobrás PN liderou os ganhos na Bolsa, com avanço de 1,92% na ação PN e 2,88% na ON. A alta do petróleo favoreceu o desempenho da estatal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.