Ações aceleram queda em NY com tensão no Líbano

Os principais índices de ações norte-americanos aceleraram as perdas em Nova York, com o aumento da tensão internacional depois da Casa Branca ter culpado o Irã e a Síria pela captura de dois soldados israelenses por guerrilheiros do grupo islâmico Hezbollah. As vendas são particularmente intensas no setor de tecnologia, refletindo as perdas das blue chips (ações de primeira linha) IBM (1,18%) e Microsoft (1,60%). Às 16h45 (de Brasília), o índice Dow Jones caía 119 pontos (1,08%), o Nasdaq recuava 35 pontos (1,64%) e o S&P-500 registrava queda de 13 pontos (1,05%). "As notícias de que a Casa Branca está culpando a Síria e o Irã estão aumento a fraqueza no mercado", disse o analista-chefe de mercado da S.W. Bach, Peter Cardillo. "Nós também consideramos a Síria e o Irã, que diretamente dão apoio ao Hezbollah, responsáveis por este ataque e a violência que se seguiu", disse o porta-voz do Conselho Nacional de Segurança dos EUA, Frederick Jones, que está acompanhando o presidente George W. Bush na Alemanha. Entre outros eventos geopolíticos, as potências mundiais concordaram em enviar o caso do Irã para o Conselho de Segurança da ONU, que irá decidir sobre possíveis punições com relação ao polêmico programa nuclear de Teerã, afirmou hoje o ministro das Relações Exteriores da França, Philippe Douste-Blazy.. No setor de tecnologia, os investidores estão preocupados com relação ao vigor dos lucros das empresas no segundo trimestre, depois que o JP Morgan rebaixou sua estimativa de receita para a blue chip IBM, citando "expectativas de crescimento não realistas" até 2007. Sobre as ações da Microsoft pesam a notícia de que a Comissão Européia multou a companhia em 280,5 milhões de euros (cerca de US$ 457 milhões) por não cumprir a determinação de compartilhar informações com concorrentes para que elas possam desenvolver softwares compatíveis com o Windows.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.