Ações caem em NY após Bernanke falar sobre inflação

Os principais índices de ações do mercado norte-americano caíram para as mínimas depois que o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), Ben Bernanke, fez um duro discurso sobre a inflação, gerando preocupações de que o banco central está longe de concluir seu ciclo de aperto monetário. Os preços dos títulos do Tesouro dos EUA (Treasuries) também acentuaram o movimento de baixa, com respectiva alta dos juros, após os comentários de Bernanke. Às 16h22 (de Brasília), o índice Dow Jones caía 151 pontos (1,35%), o Nasdaq recuava 39 pontos (1,78%) e o S&P-500 caía 17 pontos (1,34%). Embora a antecipada desaceleração no crescimento esteja em andamento, os mercados financeiros não devem questionar as credenciais de combatente da inflação do Federal Reserve, disse Bernanke. "Há um forte consenso" entre os membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) para manter a inflação baixa, disse o presidente do Fed durante conferência monetária internacional da American Bankers Association, em Washington. Bernanke também destacou que as recentes leituras do núcleo da inflação têm sido de alta nos últimos meses e "têm alcançado um nível que, se sustentável, estaria na, ou acima da, parte do intervalo que muitos economistas, incluindo eu mesmo, considerariam consistente com a estabilidade de preço e a promoção de máximo crescimento no longo prazo". Aquelas leituras do núcleo da inflação "são desenvolvimentos indesejáveis", disse Bernanke. No mercado de bônus, os preços dos Treasuries de longo prazo acentuaram as perdas com a perspectivas de taxas de juro mais elevadas imediatamente após o discurso de Bernanke. Às 16h22 (de Brasília), o juro do papel de 10 anos estava a 5,020%, alta de 0,44%, enquanto o juro do papel de 2 anos estava na máxima a 4,979%, alta de 1,28%. O juro do título de 30 anos estava a 5,104%, queda de 0,03%, depois de ter registrado a máxima de 5,119%. Por outro lado, no mercado de moedas, o dólar mal se moveu em reação ao discurso de Bernanke, com os investidores tentando digerir os comentários considerados um tanto contraditórios, segundo operadores. Às 16h15 (de Brasília), o dólar estava a 112,14 ienes, alta de 0,44%, enquanto o euro caía 0,04% para US$ 1,2921. Entre as commodities, os futuros de petróleo reagiram em alta ao alerta dado pelo Irã, de que poderá parar os embarques de petróleo se for provocado em relação ao seu programa de enriquecimento nuclear. Em Nova York, os contratos de petróleo para julho fecharam a US$ 72,60 o barril, alta de US$ 0,27 (0,37%), depois de terem atingido a máxima de US$ 73,40 o barril. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.