Ações caem em NY com petróleo e tensão sobre o Irã

Os principais índices do mercado de ações norte-americano seguem em baixa em Nova York, com os futuros de petróleo subindo acima de US$ 61,00 por barril na máxima do dia em reação aos dados sobre os estoques nos EUA e a notícia de que o relatório do chefe de assuntos nucleares da ONU, Mohamed ElBaradei, atestou que o Irã recusou-se a suspender seu programa de enriquecimento de urânio. A alta do petróleo anulou o efeito positivo de notícias de fusão no setor de alimentos, assim como desenvolvimentos positivos para algumas ações de tecnologia. O analista de transações Mike Malone, da Cowen & Co, disse que a divulgação do relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA, na sigla em inglês) pode ter servido como um gatilho para o mercado consolidar os recentes ganhos. "As notícias do Irã não deveriam ser uma surpresa para o mercado, mas nós atingimos uma resistência técnica", disse. Entre as notícias corporativas, a Whole Foods Market Inc concordou em comprar a pequena rival Wild Oats Markets por US$ 565 milhões. Por volta das 18h15 (de Brasília), as ações da Whole Foods subiam 13,30% e as da Wild Oats registravam uma alta de 17,18%. O índice Dow Jones recuava 65 pontos, ou 0,51%, o Nasdaq caía 0,69 ponto, ou 0,03%, e o S&P-500 registrava uma queda de 3 pontos, ou 0,22%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.