Ações da Apple têm forte queda e levam junto o Nasdaq

Investidores aproveitam para realizar lucros após o papel da empresa ter atingido o recorde histórico de US$ 644 na semana passada

Álvaro Campos, da Agência Estado,

16 de abril de 2012 | 15h53

Texto atualizado às 18h56

SÃO PAULO - A forte queda das ações da Apple nesta segunda-feira puxou o índice Nasdaq para baixo, na contramão do Dow Jones, que teve alta. A gigante do setor de tecnologia também faz parte do S&P 500, o que levou o índice a ter uma leve queda. As ações da Apple recuaram 4,15%,encerrando em US$ 580,13 por ação, enquanto o Nasdaq perdeu 0,76%. O Dow Jones subiu 0,56% e o S&P 500 caiu 0,05%.

Uma série de fatores pode estar pesando sobre a Apple, mas o mais provável é que os investidores estejam aproveitando para vender as ações após o papel atingir o recorde histórico de US$ 644,00 na semana passada. No ano, o ganho acumulado das ações da companhia é de quase 45%. "Qualquer coisa viva, incluindo a Apple, precisa parar e respirar um pouco", comenta Rick Bensignor, estrategista-chefe de mercado da Merlin Securities.

Na semana passada, a Apple atingiu um valor de mercado superior a US$ 600 bilhões, consolidando-se como a maior companhia do mundo. A marca foi alcançada apenas seis semanas após a Apple superar um valor de mercado de US$ 500 bilhões. Alguns analistas chegaram a prever que a ação pode tocar US$ 1.000,00 dentro de alguns anos, dando à Apple uma capitalização de mercado de US$ 1 trilhão. De uma perspectiva técnica, um nível para observar agora é a média móvel de 50 dias, que atualmente é de US$ 553,00, segundo a FactSet Research.

Analistas citam várias possíveis razões para a queda das ações da Apple. Segundo Dave Lutz, da Stifel Nicolaus, há rumores de que a companhia pode lançar um iPad Mini por US$ 200,00. Para ele, esse novo produto poderia "canibalizar as vendas".

Além disso, a Apple e cinco editoras foram acusadas pelo Departamento de Justiça dos EUA de conluio para elevar os preços de e-books. A companhia simplesmente disse que "isso não é verdade". Mas a gigante tecnológica também enfrenta outros processos judiciais em diversos países, relacionados a disputas de propriedade intelectual.

Outro possível fator pesando sobre as ações da Apple é a descoberta de um novo malware, conhecido como "LuckyCat", que usa o Microsoft Word para infectar os computadores Macintosh. Normalmente isso não seria nada demais, mas já é o segundo problema nos Macs em duas semanas. E esses computadores da Apple geralmente são considerados mais seguros que os rivais.

Mesmo com todos esses riscos, alguns analistas ainda acreditam que as ações da Apple devem manter o forte desempenho. No mês passado, a companhia revelou que vai pagar dividendos pela primeira vez em mais de dez anos. Ela também planeja recomprar até US$ 10 bilhões em ações nos próximos três anos, começando a partir de 30 de setembro (o início do seu ano fiscal 2013).

A Apple também começou a vender sua terceira geração de iPads no mês passado, visando ampliar sua liderança o mercado de tablets. O aparelho é o primeiro grande lançamento desde a revelação do novo iPhone, em outubro do ano passado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AppleNova YorkNasdaq

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.