Ações da Arcelor têm forte oscilação na volta ao pregão

Após quatro pregões de suspensão, as ações ordinárias da Arcelor Brasil operam com forte oscilação no pregão da Bolsa de Valores de São Paulo. O papel já oscilou da máxima de +3,9%, logo após o leilão de reabertura, até a mínima de -4,56%. O dia hoje é de volta de nervosismo ao mercado, com índices de bolsas pelo mundo depreciados, e o Ibovespa em queda de 2,60% às 11h50. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) suspendeu os papéis da Arcelor na semana passada, descontente com as informações prestadas pela companhia sobre a necessidade de oferta pública de ações para os minoritários por conta da negociação internacional envolvendo sua controladora, a Arcelor, e a Mittal Steel. A companhia afirma que, se o desenho do negócio se confirmar, não serão necessárias ofertas nem para a Arcelor Brasil nem para a Acesita. Às 11h55, Arcelor Brasil ON caía 2,27% e Acesita PN perdia 1,91%. De acordo com o comunicado, o memorando de entendimentos da transação, assinado por Arcelor, Mittal Steel e o acionista controlador atual da Mittal Steel (Lakshmi Mittal e sua família) prevê uma fusão entre iguais, a ser implementada após a conclusão bem sucedida da oferta de aquisição da Mittal de ações em circulação e títulos conversíveis em ações da Arcelor. Após a efetivação da fusão, a nova denominação social da Arcelor passara a ser ?Arcelor- Mittal?. A operação revisada envolve a oferta pela Mittal Steel de troca de até 100% dos papéis em circulação da Arcelor por dinheiro e ações da Mittal Steel, na proporção global de 31% em dinheiro e 69% em ações, respectivamente. A oferta revisada expirará em 13 de julho, mas poderá ser prorrogada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.