Ações da CSN sobem após extensão de prazo à OPA pela Cimpor

No acumulado de fevereiro, os papéis já apuram 6,73% de alta

Agência Estado,

17 de fevereiro de 2010 | 15h23

Diante de novos capítulos sobre a compra da cimenteira portuguesa Cimpor, as ações ordinárias da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) avançavam 1,87% na bolsa paulista, há instantes, para R$ 58,88. No acumulado de fevereiro, os papéis já apuram 6,73% de alta, ao passo que em 30 dias o avanço é de 1,56%.

 

 

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), órgão regulador do mercado acionário português, anunciou extensão do prazo para 22 de fevereiro relativo à oferta de aquisição de ações (OPA) da Cimpor, que venceria hoje. Até lá, a Cimpor poderá revogar a declaração de aceitação da oferta.

 

Na última sexta-feira, a CSN elevou em 7,5% sua oferta pela Cimpor, para 6,18 euros por ação, o que avalia a companhia em 4,153 bilhões de euros (cerca de US$ 5,6 bilhões), considerando-se o total de 672 milhões de ações. A CSN pretende se tornar um dos cinco maiores produtores de cimento do mundo e o maior no critério de rentabilidade. Além da CSN, Votorantim e Camargo Corrêa disputam a fabricante de cimento.

 

A alta das ações da CSN ocorre a despeito do anúncio da Votorantim Cimentos de que comprou mais 3,93% de ações da Cimpor. Os papéis em questão pertenciam à Cinveste. Com a nova fatia, a participação da Votorantim na Cimpor passa a ser de 21,16%. A Votorantim adquiriu 26.402.425 ações de emissão da Cimpor, pelo montante de 154,45

milhões de euros, o correspondente a 5,85 euros por ação.

Tudo o que sabemos sobre:
CSNCimpor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.