Ações da Net, Vivo, TAM e Perdigão têm mais risco, aponta estudo

O investimento em ações exige a busca de oportunidades de maior retorno, mas o aplicador deve ficar sempre atento ao risco (volatilidade de preço) de sua carteira. Isso porque os melhores retornos nem sempre estão relacionados aos maiores riscos: há casos de ações com chances moderadas de perdas que propiciam lucro semelhante aos apresentados pelos papéis com maior volatilidade. De acordo com levantamento da Cyrnel International, as ações preferenciais da NET lideraram o ranking das ações maior grau de risco. A volatilidade desse papel foi 3,96 vezes maior do que a apresentada pela carteira total do índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa). Em segundo lugar, ficaram as ações preferências da VIVO (com risco 3,54 vezes maior), seguida pelas ações preferenciais da TAM (3,39) e da Perdigão (3,34). A pesquisa levou em consideração as cotações de fechamento de 2006. O estudo mostrou também quatro papéis com grau de risco inferior a 2,5. O menor ficou com as preferenciais da Ambev (2,18), seguido pelos papéis preferenciais e ordinários da Petrobras (2,32 e 2,37, respectivamente). Na terceira posição vêm as ações preferenciais da Telesp, com risco de 2,38. A Cyrnel International, que realizou o estudo, é especializada em consultoria e soluções de software que apóiam o processo de gestão de investimentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.