Ações da Petrobrás ajudam Bovespa em dia de alta

Pressão sobre as bolsas internacionais, a economia chinesa segue na mira dos investidores lá fora

Luciana Antonello Xavier, da Agência Estado,

12 de março de 2014 | 10h52

Segunda maior economia do mundo, a China segue preocupando os investidores e é hoje um dos fatores de pressão sobre as bolsas internacionais. O Ibovespa teve momentos de queda, mas no fim da manhã já operava em alta. Os temores colocam os preços do ouro para abril em patamares mais alto e os preços do cobre nas mínimas.

O outro fator é a Ucrânia, especialmente pela proximidade do referendo, no próximo domingo, 16, que decidirá se a Crimeia se separa do país e se anexará à Rússia.

Às 11h25, o Ibovespa subia 0,18%, aos 45.779 pontos. As ações da Petrobras subiam 2,36% (PN) e 2,48% (ON), após o Credit Suisse ter elevado a recomendação para as ADRs da empresa para neutro, ajudando a limitar a queda da Bolsa brasileira.

Já o cobre para maio caía 0,41%, a US$ 2,9450 por libra-peso. Segundo a corretora IG, a recente desvalorização do yuan ante o dólar está também por trás da queda dos preços do minério de ferro e cobre.

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.