Ações da Petrobras alternam alta e baixa

As ações da Petrobras não escaparam de uma correção técnica, devolvendo parte dos ganhos da véspera, quando subiram a despeito da decisão da Bolívia de nacionalizar a exploração de gás e de petróleo. No início da tarde de ontem, os papéis PN e ON registravam exatamente a mesma perda, 1,25%, e puxavam a lista dos mais negociados. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) teve realização de lucros e caiu 0,24%, mas no caso da estatal, outro elemento influiu, a queda de mais de 1,5% do petróleo futuro, reagindo ao aumento dos estoques na última semana. As ações da Petrobras chegaram a cair com força - a PN recuou 2,40% e a ON, 2,81%, nas cotações mínimas do dia -, mas se recuperaram no fim da tarde, durante a transmissão da entrevista coletiva concedida pela direção da estatal. No encerramento dos negócios, as preferenciais caíram 0,21% e as ordinárias avançaram 0,09%. Na opinião de operadores, a entrevista dos diretores da Petrobras mostrou que a empresa está confiante numa negociação com o governo boliviano, e que está bem posicionada nesta negociação por ter um peso importante na economia do país vizinho. O fim da ameaça do "apagão de gás" também ajudou.

Agencia Estado,

04 de maio de 2006 | 08h29

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.