Ações da Petrobras lideram estrangeiras em NY

Pelo segundo mês consecutivo, a Petrobras liderou o ranking de empresas com ações mais negociadas em Nova York, dentre papéis estrangeiros de todo o mundo. O sucesso é compartilhado com outras empresas do Brasil: o movimento total de papéis brasileiros negociados em Nova York em março deu um salto de 25,6% sobre o mês anterior, ultrapassando a marca de US$ 20 bilhões pela primeira vez, para atingir o recorde de US$ 23,467 bilhões. Girando o equivalente a US$ 7,016 bilhões em março, a petroleira superou o movimento de tradicionais líderes em papéis estrangeiros (chamados de ADRs) negociados em Nova York, como a finlandesa Nokia (US$ 5,281 bilhões), do setor de tecnologia, e a britânica BP (US$ 4,467 bilhões), do setor de petróleo e gás. Em fevereiro, a Petrobras já havia liderado o ranking, girando US$ 6,21 bilhões. O crescimento no volume financeiro mês a mês foi de quase 13%. Outro ADR brasileiro bem negociado em março foi o da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD). O giro aumentou 19,79% sobre fevereiro, para US$ 5,23 bilhões, o que colocou a Vale como o terceiro papel mais negociado entre os todos estrangeiros em Wall Street. Unibanco, com volume de US$ 1,919 bilhão, Bradesco (US$ 1,418 bilhão), Gol (US$ 833 bilhões), Itaú (US$ 792,6 bilhões), Telemar (US$ 790 milhões), CSN (US$ 654,71 milhões), Gerdau (US$ 620,76 milhões), Aracruz (US$ 551,079 milhões), Embraer (US$ 495,629 milhões), AmBev (US$ 475,2 milhões) e Cemig (US$ 460,27 milhões) também integram a lista dos papéis brasileiros de maior liquidez, segundo os dados apurados pelo Bank of New York, que monitora o desempenho de 35 programas de ADRs do País.

Agencia Estado,

05 Abril 2006 | 18h23

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.