Ações da Petrobrás têm nova queda, mas Bovespa fecha em alta

Papéis ON e PN da estatal recuaram 2,54% e 3,25%, estendendo as perdas da véspera; Ibovespa conseguiu sustentar ganhos com a ajuda de Vale e siderúrgicas

Clarissa Mangueira, O Estado de S. Paulo

06 de janeiro de 2015 | 18h11

SÃO PAULO - A Bovespa interrompeu cinco sessões seguidas de queda e terminou em alta, recebendo suporte das ações de Vale e siderúrgicas. A queda das ações da Petrobrás e das bolsas em Nova York exerceram pressão negativa sobre o índice, o que acabou provocando oscilações ao longo da sessão.

No fim do dia, o Ibovespa subiu 1,02%, aos 48.000,92 pontos. Na máxima, a Bolsa atingiu 48.061 pontos (+1,15%) e, na mínima, foi aos 47.338 pontos (-0,38%). O volume dos negócios totalizou R$ 7,664 bilhões, segundo dados preliminares. No ano, a Bovespa acumula queda de 4,01%.

A Bovespa abriu a sessão em alta, depois de acumular queda de quase 5% apenas nos dois primeiros pregões de 2015. A melhora registrada pelos índices futuros das bolsas de Nova York deu impulso para a tentativa de recuperação do Ibovespa, mas a queda das ações da Petrobrás limitou os ganhos do mercado.

As ações da ON e PN da estatal recuaram 2,54% e 3,25%, respectivamente, estendendo as perdas da véspera, quando fecharam o pregão nos menores níveis desde setembro de 2004 e de junho de 2005, respectivamente.

Os papéis da companhia foram afetadas pela notícia de que a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP) aplicou multa de R$ 18,7 milhões à Petrobrás por irregularidades em duas plataformas. A aceleração da queda dos preços do petróleo e a informação divulgada no fim da tarde de que a companhia tem discutido redução de preço de combustíveis para evitar concorrência também penalizaram os papéis.

Entre os destaques positivos estavam as ações da Vale, que avançaram 4,01% (ON) e 4,10% (PNA), impulsionados por uma notícia vinda da China e pela recuperação do minério de ferro no mercado à vista chinês. Bradespar PN, importante acionista da mineradora, subiu 3,96%. A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC) da China aprovou 7 trilhões de yuans em investimento para acelerar projetos de 2012 e de 2013, de acordo com relatos da mídia local. O setor de siderurgia também fechou em alta: CSN ON (+6,80%), Usiminas PNA (+4,89%) e Gerdau PN (+11,12%).

As ações dos bancos terminaram com avanço: Bradesco PN (3,29%), Itaú Unibanco PN (1,62%) e Banco do Brasil (1,40%).

A alta da Bovespa contrariou a queda de mais de 1% exibida pelas bolsas de Nova York, que foram pressionadas pelo recuo do petróleo e dados divulgados mais cedo nos EUA. Perto das 17h30, o Dow Jones (-0,99%), o S&P 500 (-1,02%) e o Nasdaq (-1,38%) apresentavam queda. O contrato de petróleo para fevereiro é negociado a US$ 52,26 por barril na Nymex, em queda de 3,49%. Já o Brent é cotado a US$ 48,57 o barril na ICE, em baixa de 3,78%.

Entre os dados anunciados no país estavam o índice de atividade do setor de serviços, que recuou para 56,2 em dezembro, de 59,3 em novembro. A expectativa dos analistas era de recuo menor, a 58. Já as encomendas à indústria americana caíram para 0,7% entre outubro e novembro.

Tudo o que sabemos sobre:
bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.