efe
efe

Ações de aéreas derrubam principais bolsas da Europa

Após revelação de que acidente com o avião da Germanwings foi provocado pelo copiloto, ações de companhias de aviação e da fabricante Airbus entraram que queda

EFE

26 de março de 2015 | 10h34


MADRI - As grandes empresas de aviação da Europa com ações no mercado derrubaram as bolsas de valores na manhã desta quinta-feira, 26, após a revelação de que o copiloto do voo da Germanwings forçou intencionalmente a queda do avião enquanto mantinha o comandante trancado do lado de fora da cabine.

O acidente com o Airbus da empresa alemã deixou 150 mortos ao cair nos Alpes.

Na Espanha, o índice IBEX enfrentava queda de 1,08 %, com a companhia IAG, fruto da fusão entre Iberia e British, caindo 5,02%, uma das maiores baixas  do mercado. A Airbus, fabricante da aeronave, caia 1,27%.

No índice FTSE de Londres, onde também está listada a empresa aérea IAG, a queda chegava a 4,69 %.

A Lufthansa, matriz de da Germanwings, enfrentava queda de 3,52%, o que arrastava o índice da bolsa para uma queda de 1,76%.

Outras quedas importantes foram registradas no índice MIB de Milão, mesmo sem nenhuma aérea listada entre suas aços. A queda média da seção era de perda de 1,76%.

O promotor que investiga o acidente do Airbus A320, Brice Robin, assegurou nesta quinta, 26, que por enquanto não é possível falar em terrorismo, apesar de que tudo indica que o copiloto recusou-se a abrir a porta da cabine de comando para o piloto e acionou o botão de descida "com vontade de destruir o avião" por razões desconhecidas.

Tudo o que sabemos sobre:
AirbusGermanwings

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.