Ações de bancos europeus sobem após resultado de testes de estresse

Setor bancário espanhol, que foi o mais duramente atingido pela avaliação, apresenta certo alívio nesta segunda-feira

Danielle Chaves, da Agência Estado,

26 de julho de 2010 | 08h52

O setor bancário da Espanha, que foi o mais duramente atingido pelos testes de estresse realizados pela União Europeia, apresentam um certo alívio nesta segunda-feira - assim como os papéis de outros bancos europeus. Os investidores receberam bem os resultados dos testes, que foram divulgados na sexta-feira, apesar de eles não terem revelado a deficiência de capital que muitos participantes dos mercados vinham pedindo.

"Os testes de estresse - apesar das imperfeições - deverão ajudar a reduzir os riscos ligados à dívida soberana espanhola, a reduzir a incerteza e ajudar a dar suporte a um financiamento e a um valor mais fortes para os bancos espanhóis", afirmou Huw van Steenis, analista do Morgan Stanley. Analistas da Espanha afirmaram que os resultados dos testes foram mais favoráveis aos maiores fornecedores de crédito do país, como Santander e Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (BBVA), e menos para os menores.

Cinco entre os sete bancos que não passaram nos testes de estresse eram bancos de poupança espanhóis, conhecidos como "cajas". No entanto, o montante de capital necessário para eles de acordo com a avaliação, cerca de 1,84 bilhão de euros, foi muito menor do que a maioria das corretoras esperavam. Às 8h20 (de Brasília), as ações do BBVA subiam 0,84% e Santander operava perto da estabilidade.

Outro banco reprovado no teste era da Alemanha, o Hypo Real Estate, mas as ações dos bancos alemães também operam em alta nesta manhã. Commerzbank subia 0,28% e Deutsche Postbank avançava 0,42% no horário citado acima. No entanto, o grego ATEBank, que também foi reprovado, operava com queda de cerca de 2%.

Na França, os papéis dos três maiores bancos do país em capitalização de mercado também subiam, beneficiados por avaliações de que seus resultados nos testes de estresse foram melhores do que o esperado. BNP Paribas subia 0,76%, Société Générale avançava 2,96% e Crédit Agricole ganhava 0,96%.

As ações dos bancos britânicos também operam em alta, depois que eles informaram ter proporções de capital Tier-1 acima de 9% em cenários de forte estresse. Barclays operava com +2,35%, enquanto Royal Bank of Scotland Group (RBS) tinha +1,92% e Lloyds Banking Group tinha +2,28%. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.