Ações de bancos italianos sobem, mesmo após corte

As ações dos bancos italianos eram negociadas em alta na manhã de hoje, apesar do rebaixamento da nota do país ontem pela agência de classificação de risco Standard & Poor''s. Segundo analistas, o corte de rating já vinha sendo embutido nos preços desde a colocação da classificação de risco da Itália em revisão pela agência Moody''s.

CYNTHIA DECLOEDT, Agencia Estado

20 de setembro de 2011 | 08h46

Às 8h (horário de Brasília), as ações do UniCredit operavam em alta de 2%, as do Intesa Sanpaolo avançavam 1,3%, as do Banco Popolare registravam ganho de 2,6% e as do Banca Monte dei Paschi di Siena ganhavam 0,6%. Às 8h24 (de Brasília), o índice FTSE Mib operava em alta de 1,23%.

Corretores em Milão e em Londres disseram que as ações financeiras italianas estiveram muito voláteis nos últimos três meses, quando as preocupações com a dívida soberana europeia se espalharam pelos mercados globais, colocando todo o setor financeiro sob pressão.

Os bancos italianos, assim como a maioria de seus concorrentes europeus, foram atingidos por repetidas ondas de vendas, deixando suas capitalizações de mercado prejudicadas por temores relacionados à solidez e à possibilidade de deterioração de seus ganhos futuros. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliarebaixamentobancosações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.