Ações de empresas de educação caem após Bolsonaro defender Lava Jato no setor

Ações de empresas de educação caem após Bolsonaro defender Lava Jato no setor

'O Ministério da Educação junto com o Ministério da Justiça, Polícia Federal, Advocacia e Controladoria Geral da União criaram a Lava Jato da Educação', escreveu o presidente na segunda-feira

Wagner Gomes, O Estado de S.Paulo

06 de março de 2019 | 16h01

Na lista das principais quedas do Ibovespa nesta quarta-feira, 6, aparecem as ações Kroton ON, com recuo de 2,67%, e Estácio ON, em queda de 2,55% por volta das 15h30. Fora do índice, Ser Educacional ON tinha queda de 1,42% e Anima Educação ON recuava 1,53%. A desvalorização de empresas ligadas ao setor educativo ocorre após o presidente Jair Bolsonaro defender a "Lava Jato da Educação" na segunda-feira, emenda de feriado, em seu perfil do Twitter.

"Há algo de muito errado acontecendo: as prioridades a serem ensinadas e os recursos aplicados. Para investigar isso, o Ministério da Educação junto com o Ministério da Justiça, Polícia Federal, Advocacia e Controladoria Geral da União criaram a Lava Jato da Educação", disse o presidente.

Segundo Bolsonaro, os dados iniciais da investigação revelam "indícios muito fortes" de que a máquina está sendo usada para a manutenção de "algo que não interessa ao Brasil".

Ele ainda completou que sabe que isso pode acarretar greves e movimentos coordenados, "prejudicando o brasileiro". No mesmo horário, o Ibovespa tinha queda de cerca de 0,6%, aos 94 mil pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.