Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ações de exportadores garantem ligeira alta em Tóquio

O pregão de hoje da Bolsa de Tóquio terminou sem definir uma tendência, mas o índice Nikkei 225 acabou registrando ligeira alta graças à desvalorização do iene, que beneficiou empresas exportadoras, como a Toyota Motor e a Matsushita Electric Industrial. O índice avançou 0,1%, encerrando a sessão com 15.874,28 pontos. Segundo os operadores, o mercado acionário japonês deve encontrar forte apoio no final desta semana, com a expectativa dos investidores pelo pagamento de dividendos intermediários por parte de algumas empresas e a divulgação de dados econômicos favoráveis. ?A pressão vendedora continua persistente no nível acima de 16 mil pontos, mas o mercado não está sobrevalorizado?, observou o chefe do departamento de vendas de uma corretora local. Ele acrescentou que o Nikkei 225 pode superar os 16 mil pontos enquanto o mercado aguarda a divulgação de novos indicadores mostrando os bons fundamentos da economia japonesa. No início da próxima semana, algumas empresas pagarão aos acionistas dividendos extras referentes à primeira metade do ano fiscal que se encerra em 30 de setembro. Antes de se retrair por conta da realização de lucros, o Nikkei 225 chegou a bater nos 16 mil pontos pela primeira vez nas últimas cinco sessões. Toyota subiu 0,5%, Honda ganhou 0,3%, Matsushita Electric Industrial teve um avanço de 0,8% e Sharp terminou o dia com alta de 0,7%. Apesar da notícia de que a Toshiba planeja fazer um ?recall? de seus 340 mil laptops e PCs produzidos neste ano, para a troca de baterias fabricadas pela Sony, as ações desta última caíram apenas 0,8%. As da Toshiba subiram 0,5%. Hitachi, que na sexta-feira revisou para baixo sua previsão de lucros, registrou perda de 2,3%. (as Informações são da Dow Jones)

Agencia Estado,

19 de setembro de 2006 | 07h11

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.