Reuters
Reuters

Ações de tecnologia despencam e Nasdaq apaga todos ganhos do ano

Em Nova York, houve fortes baixas no primeiro dia de negociações do segundo trimestre; S&P 500 recuou 2,23%, aos 2.581,88 pontos e Nasdaq perdeu 2,74%, aos 6.870,12 pontos

Victor Rezende, O Estado de S.Paulo

02 Abril 2018 | 19h02

Uma nova sessão de queda firme das ações de tecnologia em Nova York pesou nos mercados acionários americanos, que fecharam com fortes baixas no primeiro dia de negociações do segundo trimestre. O S&P 500 recuou 2,23%, aos 2.581,88 pontos, e o Nasdaq perdeu 2,74%, aos 6.870,12 pontos.

Com isso, o índice Nasdaq apagou todos os ganhos registrados no ano e mais de 95% das empresas do S&P 500 encerraram o dia no vermelho. O índice Dow Jones também fechou em baixa de 1,90%, aos 23.644,19 pontos.

+ Tarifas de Trump provocam uma reação global em cadeia

As perdas se deram em meio às tensões comerciais entre Estados Unidos e China e o impasse em torno da questão imigratória em solo americano, que afetaram o setor de tecnologia, contaminando outro setores.

O subíndice de tecnologia do S&P 500 encerrou em queda de 2,48%, aos 1.113,28 pontos. Apesar da liquidez mais baixa devido à falta de negócios na Europa e em parte da Ásia nesta segunda-feira, 2, Nova York viu uma nova fuga das ações em solo americano.

"O que teria sido do dia de hoje se os mercados europeus e asiáticos, que fecharam devido ao feriado, estivessem aumentando a liquidez? Esse escorregão não existiria ou haveria uma avalanche ainda maior?", questionou o estrategista-chefe do DailyFX, John Kicklighter, em seu perfil no Twitter.

Além das tensões comerciais entre EUA e China, que retomaram o protagonismo após Pequim aplicar tarifas contra 128 produtos americanos, o presidente americano, Donald Trump, jogou um balde de água fria em quem esperava um pacto para salvar jovens imigrantes da deportação e disse que "não há mais acordo".

+ Com bitcoin e mais risco na carteira, IR requer atenção

Imigrantes constituem cerca de 25% da força de trabalho das empresas de tecnologia e ciência. Notícias corporativas se somaram ao cenário negativo para ações de tecnologia, mais uma vez envolvendo Trump.

O presidente americano voltou a criticar a tributação cobrada à Amazon e fez os papéis da varejista caírem 5,21%. Já a Snap teve baixa de 8,88%, refletindo a informação de corte em sua força de trabalho, enquanto a Intel recuou 6,07%, após a notícia de que a Apple pode investir em chips próprios para os Macs. No pior momento do dia, os três principais indicadores acionários de Nova York chegaram a cair mais de 3%, em um cenário em que a volatilidade não deu trégua.

No Brasil, a retaliação da China levou o dólar a terminar em alta, enquanto a Bovespa acabou o pregão em baixa. Além do exterior, pesou no cenário doméstico a apreensão com relação ao habeas corpus de Lula. O índice de ações brasileiro perdeu 0,82%, encerrando aos 84.666 pontos, e a moeda americana subiu 0,36%, cotada a R$ 3,3151.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.