Ações de telefonia são revisadas para baixo pela BES

O cenário não é bom para as empresas de telefonia. Os brasileiros têm usado menos o telefone fixo, e mesmo assim as operadores de celular não conseguem aumentar sua receita. Tudo isso faz com que as ações dessas empresas não sejam atraentes.Essa é a avaliação da BES Securities, que revisou para baixo suas projeções para o setor de telecomunicações (companhias fixas e celulares), o que levou a uma redução no preço-alvo (para 12 meses) para todas as ações das empresas do setor. A analista da corretora Luciana Leocadio afirma em relatório que a diminuição nas expectativas reflete uma "deterioração de tráfego mais intensa na telefonia fixa, bem como a maior queda de receita média mensal por usuário (ARPU) e a manutenção de margens mais baixas entre as operadoras móveis". Diante do cenário, ela manteve a recomendação de um posicionamento underweight (perspectiva de valorização abaixo da média do mercado) em telecomunicações. A opinião da especialista é que os preços das ações em bolsa estão atrativos, mas não há catalisadores de curto e médio prazos que possam justificar uma performance acima do mercado. As apostas principais da analista no setor são a ação ordinária da Telemar (Telemar ON) e a ação preferencial da TIM (TIM Participações PN), em razão dos maiores potenciais de valorização.Sobre as operadoras fixas, Luciana comenta que a perda de tráfego continua sendo uma preocupação para o investimento no setor. Ela não espera mudança nessa tendência e lembra que os prognósticos para o reajuste deste ano são baixos ou até negativos, o que deve resultar em baixo crescimento das receitas neste ano. Os segmentos de banda larga e dados corporativos deverão continuar sustentando o crescimento das companhias neste ano. Em relação à telefonia celular, ela destaca que não está claro quando será possível verificar uma inversão de tendência de queda na receita média mensal por usuário. A expectativa é a de que esse movimento não ocorra neste ano. A analista chama a atenção para a postura comercial menos agressiva das companhias, mas afirma que o cenário ainda é de forte competição, dada a existência de quatro operadoras na maior parte das regiões do País. Confira abaixo a tabela com os antigos e os novos preços-alvo calculados pela BES: NOVO ANTERIORBrasil Telecom Part. R$ 23,68 R$ 26,42Brasil Telecom S/A R$ 16,58 R$ 18,47Embratel R$ 7,11 R$ 8,23Telemar R$ 55,03 R$ 63,36TMAR R$ 92,21 R$ 105,78Telesp R$ 59,07 R$ 66,48TIM Participações R$ 9,50 R$ 10,22Telemig Celular R$ 5,46 R$ 6,44Tele Norte Celular R$ 0,42 R$ 0,38

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.