Ações de teles e elétricas pressionam Ibovespa

As quedas de ações de algumas empresas do setor de telecomunicações e elétricas pressionaram o índice Ibovespa no pregão da manhã, que teve pouco volume de negócios. Às 12h40, o giro financeiro era de R$ 640 milhões, projetando para o final do pregão apenas R$ 1,54 bilhão. O índice Ibovespa chegou à mínima de 0,76% de queda (33.638 pontos), mas inverteu o sinal e subia 0,34% neste horário. Nos EUA, as bolsas operavam em direções distintas e oscilam em torno da estabilidade, se ajustando ao crescimento inesperado das obras de imóveis iniciadas em maio naquele país. As ações em baixa mesclam papéis que já estavam caindo ontem, caso de Telemar PN e Vivo, a devoluções de lucro, como Transmissão Paulista. Eletrobrás também caía. Já as altas têm a forte presença da blue chip Petrobras que, sustentada pela alta do petróleo, subia 0,42% (ON) e 0,38% (PN). Varig subia 19,13%, depois de disparar mais de 50% na abertura. Os papéis reagem à notícia de ontem à noite, de que o juiz Luiz Roberto Ayoub, da 8ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, homologou a compra da Varig pela entidade Trabalhadores do Grupo Varig (TGV), que reúne associações de funcionários da empresa. A empresa Nova Varig (NV), criada para representar o TGV no leilão da companhia, tem até sexta-feira para depositar a primeira parcela, de US$ 75 milhões (cerca de R$ 169 milhões) para efetivar a compra. Caso contrário, será imediatamente programado um novo leilão. Ainda não se sabe quem é o investidor por trás do consórcio NV, já que o TGV não tem recursos capazes de honrar o negócio. Nessa manhã foi confirmada a aceitação, pelas siderúrgicas da China, do ajuste de 19% no minério de ferro. Primeiro veio a confirmação da BHP, depois da Vale do Rio Doce. As ações da mineradora estão caindo nessa manhã mas, segundo analistas, sem relação com a notícia. Um especialista conta que o porcentual já era esperado. Os papéis caem com a correção do investidor estrangeiro que, no momento de pico da Bolsa, estava posicionado em mineração e siderurgia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.