Ações do BB recuam após divulgação de balanço

Papéis de outros bancos também caem reagindo às mudanças no depósito compulsório

Luciana Collet, da Agência Estado,

25 de fevereiro de 2010 | 13h03

As ações ordinárias do Banco do Brasil apresentam queda acima dos demais bancos, de 2,27% às 12h12 apesar de a empresa ter divulgado resultado do quarto trimestre em linha com a expectativa dos analistas consultados pela Agência Estado. O BB registrou lucro líquido recorrente de R$ 1,819 bilhão no quarto trimestre de 2009, enquanto a média das quatro casas consultadas (Barclays, Fator, Goldman Sachs e Itaú) apontava para um lucro de R$ 1,831 bilhão no período de outubro a dezembro do ano passado.

 

O crescimento da carteira de crédito também veio dentro do projetado pelos analistas. Em dezembro, o total de empréstimos do BB chegou a R$ 300,829 bilhões, um avanço de 33,8% em relação ao estoque de crédito do mesmo mês de 2008, ao passo que a média das projeções apontava para um crescimento de 31,4%. O desempenho do BB foi mais que o dobro do registrado por todo o mercado. Segundo o Banco Central (BC), o crédito em 2009 apresentou expansão de 14,9%.

 

Entre as demais instituições financeiras com ações na Bolsa brasileira, Bradesco PN registra queda de 1,62%; Itaú Unibanco PN cai 1,15%; enquanto as Units do Santander caem 2,03%.

 

Na noite de ontem, o Banco Central anunciou a reversão de algumas das medidas anticrise relacionadas a depósitos compulsórios, o que vão provocar a partir de 9 de abril um recolhimento adicional de R$ 34 bilhões dos bancos sobre os depósitos a prazo. Além disso, a partir de 22 de março, com a volta das alíquotas adicionais de 8% sobre as parcelas dos depósitos à vista e a prazo será elevado o recolhimento das instituições financeiras em R$ 37 bilhões. O governo havia sinalizado anteriormente a intenção de retomar os compulsórios, por isso o mercado já esperava a medida.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsa, ações, bancos, BB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.