Ações do Itaú em baixa; carteira total cresceu menos

As ações preferenciais do Banco Itaú estão em queda no pregão da Bolsa de Valores de São Paulo, no dia da divulgação do balanço do banco no segundo trimestre do ano. O lucro ficou em linha com as projeções dos analistas e foi de R$ 1,498 bilhão no período, enquanto as estimativas indicavam R$ 1,512 bilhão. O crédito destinado à pessoa física no Itaú continuou em destaque no segundo trimestre. Entretanto, a carteira total do banco (considerando pessoa física e jurídica) cresceu apenas 3,8% em relação ao primeiro trimestre, para R$ 74,783 bilhões, abaixo da expansão de 5,2% do sistema financeiro. Por outro lado, o resultado do banco foi ajudado pela campanha de negociação e recuperação de operações de empréstimo e financiamento em atraso, que fez com que a receita crescesse R$ 59 milhões no segundo trimestre, na comparação com o primeiro trimestre do ano. Às 12 horas, Itaú PN caía 2,29%, com a ação cotada a R$ 65,00 e total negociado de R$ 335 mil (602 negócios) . Na mínima do dia até agora, Itaú PN já foi negociada a R$ 64,51. Na outra ponta, a máxima ficou em R$ 65,90. No mesmo horário, o índice Ibovespa operava em queda de 1,23% a 36.620 pontos, com volume financeiro total de R$ 643 milhões.

Agencia Estado,

01 de agosto de 2006 | 12h10

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.