Ações do setor de petroquímica sobem na Bovespa

As ações do segmento petroquímico estão se acomodando na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), após o anúncio de venda do grupo Ipiranga ter provocado fortes reações ontem. Às 11h18, as ações preferenciais classe A (PNA) da Braskem subiam 2,46%. O Banco Bear Stearns elevou a recomendação da Braskem de na "média de mercado" para "acima da média", após a empresa anunciar em conjunto com a Petrobras e a Ultrapar a compra do Grupo Ipiranga, por cerca US$ 4 bilhões. "Consideramos o acordo positivo especialmente para a Braskem. O negócio representa a parte remanescente mais importante da consolidação no Brasil, oferece sinergias consideráveis - de aproximadamente US$ 1,50 por ADR - e reflete um relacionamento alinhado com a Petrobras", observam em relatório os analistas Marc McCarthy, Sérgio Torres e Yana McManus. Ultrapar tinha ganho de 1,63%. A empresa também ficará maior, já que o negócio representará um faturamento adicional de R$ 15 bilhões/ano para a companhia e um aumento de 75% no tamanho do grupo em Ebitda (ganho antes de juros, impostos, depreciação e amortização). No ano passado, o Ebitda da Ultrapar alcançou R$ 5 bilhões. Petróleo Ipiranga PN, que caiu 5,35% ontem com a relação de troca desfavorável aos papéis, hoje se recupera e sobe 0,90%, entre as maiores altas do Ibovespa. O mesmo ocorre com Distribuidora PN (+0,61% após queda de 4,62%) e com Refinaria PN (+0,70% após -9,17%). Já as ações ON sobem menos, ou até passam por correção. Petróleo Ipiranga ON cai 0,38% após subir nada menos que 69,81%. Distribuidora tem alta de 1,55% após ganho de 67,40% e Refinaria sobe 0,46% após +20,40%. Copesul, que subiu 1,12% ontem, hoje cai 0,41%. Petrobras continua em alta, com os preços do petróleo estáveis. O ganho da PN é de 0,36% e o da ON de +0,55%. Neste mesmo horário, a Bovespa perdia 0,01%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.