Ações em NY sobem puxadas por balanços do setor de tecnologia

Dow Jones subiu 186,79 pontos, ou 1,52%, para 12.453,54 pontos, mas ao longo do dia tocou a máxima intraday de 12.475,53 pontos - nível mais alto desde 6 de junho de 2008

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado ,

20 de abril de 2011 | 18h18

Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam em alta, impulsionados pelos fortes resultados financeiros divulgados ontem, após o fechamento do mercado, por empresas do setor de tecnologia e por um aumento maior que o previsto no número de vendas de imóveis residenciais usados.

As vendas de moradias usadas nos EUA cresceram 3,7% em março na comparação com fevereiro, para a taxa anual sazonalmente ajustada de 5,1 milhões de unidades, de acordo com a Associação Nacional dos Corretores de Imóveis do país. O resultado superou a previsão dos economistas, que era de alta de 2,5%, para 5,0 milhões.

O Dow Jones subiu 186,79 pontos, ou 1,52%, para 12.453,54 pontos, mas ao longo do dia tocou a máxima intraday de 12.475,53 pontos - nível mais alto desde 6 de junho de 2008. O Nasdaq avançou 57,54 pontos, ou 2,10%, para 2.802,51 pontos. O S&P 500 ganhou 17,74 pontos, ou 1,35%, para 1.330,36 pontos.

A Intel, que ontem anunciou um aumento de 29% em seu lucro do primeiro trimestre na comparação com igual período do ano passado, fechou em alta de 7,76%. A receita da companhia cresceu 25% nos mesmos termos de comparação. A United Technologies avançou 4,30% depois de divulgar hoje cedo que seu lucro aumentou 17% no primeiro trimestre.

A IBM também superou as expectativas do mercado ao anunciar ontem que obteve um ganho de 10% no lucro do primeiro trimestre na comparação com igual período do ano anterior, mas ações da companhia fecharam em baixa de 0,39% porque o prognóstico para os resultados no ano não foi revisado para cima, conforme alguns investidores esperavam.

A Apple fechou em alta de 1,35% e no after hours avançava 2,9%. Após o encerramento do pregão, a companhia anunciou que seu lucro do segundo trimestre fiscal aumentou 95% na comparação com igual período do ano fiscal anterior.

A American Express, que subiu 0,77% no pregão regular e também apresentou balanço no fim do dia, caía 0,55% no after hours depois de divulgar que seu lucro cresceu cerca de 30% no primeiro trimestre, acompanhada por um aumento de 7,2% na receita.

No mercado de Treasuries (títulos do Tesouro norte-americano), os preços caíram, com respectivo movimento inverso dos juros, pressionados pelo aumento no apetite por risco diante dos balanços positivos divulgados entre ontem e hoje. "O forte movimento das ações foi o principal motivo para a queda dos Treasuries e temos também o impulso inflacionário decorrente do aumento nos preços do petróleo", afirmou o analista Lou Brien, da DRW Holdings. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Nova YorkbolsaDow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.