Ações reduzem perdas em NY com recuo do petróleo

Os principais índices de ações norte-americanos recuaram esta tarde das mínimas registradas hoje, com o Dow Jones chegando a oscilar brevemente em território positivo, ajudados pelo recuo dos futuros de petróleo para abaixo de US$ 74,00 o barril e pelos sólidos lucros anunciados pelas blue chips (empresas com ações de primeira linha) United Technologies (1,31%) e Coca-Cola (1,43%). Contudo, analistas disseram que o mercado de ações continua tendo um tom fortemente negativo, pressionado pelo fraco dado de sentimento do setor imobiliário, que alimentou os temores de uma desaceleração econômica, num mercado já abalado pela inflação ao produtor acima das expectativas nos EUA e a situação volátil no Oriente Médio. O indicador de confiança dos construtores de imóveis residenciais despencou para a mínima em 15 anos em julho, refletindo a crescente preocupação com relação à alta das taxas de juro e declínio da capacidade de compra do consumidor, disse a Associação Nacional dos Construtores de Casas. Às 16h27 (de Brasília), o índice Dow Jones caía 17 pontos (0,16%), o Nasdaq recuava 11 pontos (0,58%) e o S&P-500 registrava queda de 5 pontos (0,46%). Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos de petróleo com vencimento para agosto fecharam a US$ 73,54 o barril, queda de US$ 1,76% (2,34%), depois de terem registrado a máxima de US$ 76,55 o barril. Segundo operadores, os preços do petróleo reverteram os ganhos iniciais no final da sessão, em linha com as perdas de outras commodities, como ouro e cobre. Também pesou sobre o petróleo a avaliação de que o conflito entre Israel e Líbano não deverá se propagar para os demais países do Oriente Médio. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.