Ações sobem em NY com dado de produção industrial

As ações negociadas em Nova York registram leve alta com os dados da produção industrial de fevereiro, que mostraram recuperação das indústrias nos EUA, e com o anúncio de recompra de ações da Hewlett-Packard. O dado sobre a produção limitou o impacto do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês), que diminuiu as esperanças do mercado de um corte em breve na taxa de juros pelo banco central dos EUA (Federal Reserve, ou Fed). O vencimento quádruplo de contratos, das opções sobre ações, opções sobre índices de ações, contratos futuros de índices de ações e futuros de ações individuais, deixou o mercado volátil após a abertura. Às 11h49 (de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,09%, o Nasdaq ganhava 0,05% e o S&P 500 avançava 0,20%. Segundo o Federal Reserve, a produção industrial norte-americana cresceu 1% no mês passado, superando a projeção de alta de 0,3%. O resultado representou o maior ganho de produtividade desde novembro de 2005. Já o Departamento do Trabalho informou que o CPI subiu 0,4% em fevereiro, superando o aumento de 0,3% esperado pelos analistas, enquanto o núcleo do índice, que exclui os voláteis preços dos alimentos e energia, subiu 0,2%, em linha com a previsão. Entre as blue chips (ações de primeira linha), as ações da HP subiam 1,3% após o anúncio de que a diretoria autorizou uma recompra adicional de US$ 8 bilhões de ações no plano de recompra. As ações da Microsoft ganhavam 0,3% em reação às notícias de que obteve uma vitória parcial em uma disputa de patentes com a Alcatel-Lucent. Já as ações da Accredited Home Lending disparavam 34%, após o anúncio de que a companhia irá vender US$ 2,7 bilhões de empréstimos para pagar suas dívidas. Desde o início do ano, os papéis da Accredited perderam cerca de 75% do valor. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.